<iframe src="//www.googletagmanager.com/ns.html?id=GTM-TV7W9T" height="0" width="0" style="display:none;visibility:hidden"></iframe>

Educação Médica

Manuais Diagnósticos

Publicaҫões com orientaҫões padronizadas dos principais métodos laboratoriais
e/ou de imagem para diagnόsticos específicos

13/04/2012

Avaliação da esteroidogênese adrenal e gonadal

Em muitas situações, a dosagem basal de hormônios relacionados ao eixo hipotálamo-hipófise-adrenal não é suficiente para avaliar a integridade deste eixo. Nos pacientes em que se pretende avaliar a reserva hipofisária ou adrenal ou a integridade das vias de síntese esteroidogênica adrenal, faz-se necessária a avaliação por meio de provas funcionais, como por exemplo, estímulo das glândulas adrenais com ACTH ou supressão do eixo hipófise-adrenal com dexametasona. A reserva hipofisária pode ser testada por estímulo com CRH. É importante frisar que a qualidade do ensaio para dosagem dos esteróides adrenais é de extrema importância, visto que o problema de reação cruzada entre tais esteróides pode acontecer. Nesses casos, os processos de extração e cromatografia são capazes de separar os esteróides interferentes antes da realização do ensaio.

Testes funcionais podem ser de grande valia para o diagnóstico diferencial de problemas relacionados ao eixo hipotálamo-hipófise-gônadas, principalmente durante a infância, época em que o eixo está quiescente. Tais distúrbios incluem doenças de base genética ou adquirida que podem resultar em anormalidades da diferenciação sexual e/ou afetar o desenvolvimento puberal. Dentre estes testes, destacamos o teste de estímulo das gônadas com Gonadotrofina Coriônica (HCG) que é utilizado como forma de avaliação de resposta testicular e o teste de estímulo com GnRH, sintético, utilizado em ambos os sexos.

Figura 1 - Representação esquemática da esteroidogênese adrenal.

 

 

Figura 2 - Representação esquemática da distribuição da esteroidogênese sexual ovariana e adrenal.

 

Conteúdo:

Avaliação de hipercortisolismo

Teste de supressão com dexametasona - dose baixa - 2 mg/2 dias

Teste de supressão com dexametasona - dose alta - 8 mg/2 dias

Teste de estímulo com CRH

Teste de estímulo com CRH pós dexametasona

Teste de estímulo com DDAVP para ACTH e cortisol

Avaliação de insuficiência adrenal

Teste de estímulo com 1 µg de ACTH para avaliação de reserva glicocorticóide

Teste de estímulo para cortisol após insulina
(vide prova II.7)

Teste de sobrecarga com furosemida para avaliação de atividade plasmática da renina

Avaliação de defeito de síntese de esteróides

Teste de estímulo com ACTH para avaliação da
deficiência de 21 hidroxilase

Teste de estímulo com ACTH para avaliação da
deficiência de 3ß hidroxiesteróide desidrogenase

Teste de estímulo com ACTH para avaliação da
deficiência de 11ß hidroxilase

Testes de estímulo para avaliação da resposta testicular

Teste de estímulo com gonadotrofina coriônica
(HCG) - 15 dias

​​​​​