Educação Médica

Manuais Diagnósticos

Publicaҫões com orientaҫões padronizadas dos principais métodos laboratoriais
e/ou de imagem para diagnόsticos específicos

13/04/2012

Doença de von Willebrand

A doença de von Willebrand (DvW) é a coagulopatia hereditária mais comum em diferentes populações humanas. Foi descrita pela primeira vez em 1926, por Eric von Willebrand, como uma doença hemorrágica hereditária em membros de uma família proveniente da ilha de Föglö, localizada entre a Finlândia e a Suécia. A DvW caracteriza-se por uma deficiência quantitativa e/ou qualitativa do fator de von Willebrand (VWF – von Willebrand Factor), uma glicoproteína plasmática complexa sintetizada pelos megacariócitos e células endoteliais e que circula na forma de multímeros com peso molecular variando de 500 a 20.000 Kda. O VWF exibe estrutura distribuída em domínios, sendo que múltiplos domínios designados de A a D arranjam-se na seqüência D1-D2-D’-D3-A1-A2-A3-D4-B1-B2-B3-C1-C2. Após ser sintetizada, a molécula sofre alterações pós-traducionais, as quais incluem a clivagem de seqüência correspondente ao propeptídeo, além dos processos de dimerização e multimerização.

O VWF apresenta sítios de ligação ao colágeno, às glicoproteínas plaquetárias (GPIb e GPIIb-IIIa) e ao fator VIII da coagulação (FVIII), justificando seu importante papel no sistema hemostático. As duas principais funções do VWF são: 1) adesão plaquetária ao colágeno exposto do subendotélio, após lesão vascular, levando a ativação plaquetária com exposição da GPIIb-IIIa e subseqüente agregação plaquetária; 2) ligação com o FVIII, evitando sua proteólise e promovendo sua estabilização no plasma. As diferentes funções do VWF são relacionadas a domínios específicos da molécula da proteína (Figura 1). Por exemplo, o domínio A1 está envolvido na ligação do VWF à GPIb plaquetária e ao colágeno fibrilar. No domínio A3 encontra-se um sítio de ligação ao colágeno tipo III. No domínio D3 encontram-se os sítios de ligação ao fator VIII. Finalmente, na porção carboxi-terminal do domínio C2 encontra-se um sítio de ligação à GPIIb-IIIa plaquetária.

O gene codificante do VWF, localizado no braço curto do cromossomo 12 (12p12ter), contém 178 kb distribuídos ao longo de 52 éxons. O RNA mensageiro tem extensão de 8,7 kb, e o produto final do gene é um peptídeo de 2050 aminoácidos (Figura 1). Há um pseudogene no cromossomo 22, com 29 Kb, que corresponde à seqüência entre os éxons 23 e 34. Uma diferença de 3,1% entre as seqüências desses genes possibilita o estudo das mutações na DvW.

Conteúdo:

Epidemiologia

Classificação

Diagnóstico

Exames de screening

Exames específicos

Exames discriminatórios

Análise molecular da DVW

Referências bibliográficas

​​​​​​