Colonoscopia ajuda na prevenção do câncer colorretal

Publicado em: 01/08/2002
Por:
Fleury Medicina e Saúde

Edição: 2002 - Edição Nº 6 - Boletim
 

A vigilância colonoscópica após a ressecção de adenomas diminui a incidência dessa neoplastia e o número de vítias fatais

O câncer colorretal (CCR) é um dos tumores malignos de maior freqüência no mundo ocidental. Nos Estados Unidos, constitui a segunda causa de morte por câncer, com mais de 135 mil casos novos e 50 mil vítimas fatais por ano.
O diagnóstico precoce em indivíduos sintomáticos, aliado a estratégias de triagem com identificação de lesões iniciais e de pólipos pré-cancerosos ou adenomas, reduz a incidência dessa doença, assim como a mortalidade que ela causa.
A colonoscopia é o melhor exame para o diagnóstico e o seguimento pós-polipectomia endoscópica, superando métodos radiológicos como o enema baritado e a colonoscopia virtual. A detecção e a ressecção dos adenomas por meio de tal recurso previne a maioria das neoplasias na região.

Pólipo retal pediculado
Pólipo de cólon

Já foi demonstrado que a polipectomia seguida por vigilância colonoscópica diminui os casos de câncer colorretal em 76% a 90%, em comparação com uma população de referência, levando o número de mortes relacionadas ao CCR para próximo de zero.
Em decorrência da possibilidade de surgirem novos adenomas, os pacientes que tiverem ressecados um ou mais pólipos devem ser acompanhados pela colonoscopia. Embora não haja consenso quanto ao intervalo dos exames, a Sociedade Americana de Endoscopia Gastrointestinal sugere o esquema abaixo, desde que o procedimento seja completo até o ceco, com cólon preparado adequadamente e sob inspeção cuidadosa. Com a colonoscopia pós-polipectomia negativa para novos achados, grande parte dos indivíduos pode ser examinada em cinco anos. Já os pacientes com pólipos adenomatosos de alto risco para malignidade ou com antecedentes familiares de neoplasia colorretal devem receber vigilância colonoscópica mais freqüente.

Vigilância colonoscópica pós-polipectomia
Achados colonoscópicos Próxima colonoscopia
• Adenoma tubular único 5 anos*
• Adenomas múltiplos 1 ou 2 anos
• Adenoma séssil grande
2 a 6 meses
• Outros achados de adenomas 3 anos
(*) 3 anos se o paciente tem parente de primeiro grau com câncer colorretal