Teste de tolerância oral à glicose para o diagnóstico do diabetes melli

Publicado em: 01/11/2002
Por:
Fleury Medicina e Saúde

Edição: 2002 - Edição Nº 9 - Boletim
 

Glicose plasmática de 200 mg/dL, duas horas após a sobrecarda, é compatível com a doença

Fatores de risco para o diabetes mellitus

• Ter 45 anos ou mais
• História familiar da doença (pais, filhos e irmãos)
• Excesso de peso
• Sedentarismo
• HDL colesterol baixo ou triglicérides elevados
• Hipertensão arterial
• Doença coronariana
• DM gestacional prévio
• História de abortos de repetição, de mortalidade perinatal ou de recém-nascidos macrossômicos
• Uso de medicação hiperglicemiante (corticosteróides, tiazídicos e betabloqueadores)

A realização do teste de sobrecarga oral com 75 gramas de glicose pode ser útil para o diagnóstico do diabetes mellitus (DM). O exame está indicado quando a glicemia de jejum for:
• Igual ou superior a 110 mg/dL e menor que 126 mg/dL;
• Inferior a 110 mg/dL, na presença de dois ou mais fatores de risco para DM, em indivíduos com 45 anos ou mais.

A American Diabetes Association recomenda que, para o diagnóstico do DM, o teste inclua dosagens de glicemia apenas no momento da sobrecarga de glicose e 120 minutos depois, sem que seja necessário repetir o procedimento nos tempos adicionais de 30, 60 e 90 minutos. Considera-se que um paciente tem tolerância à glicose diminuída quando, duas horas após a sobrecarga, sua glicemia está igual ou superior a 140 mg/dL e menor que 200 mg/dL. Acima desse limite, o resultado é compatível com o diabetes mellitus.

Referências bibliográficas:
1. Report of the Expert Committee on the Diagnosis and Classification of Diabetes Mellitus. Diabetes Care 2002, 25:S5-S20.
2. Gross JL et al. Diagnóstico e classificação do diabetes melito e tratamento do diabetes melito tipo 2. Recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes. Arq Bras Endocrinol Metab 2000, 44:8-27.