Malária: doença ainda representa problema de saúde pública

Por: Núcleo Educacional Científico

Edição: 

A malária é uma doença infecciosa transmitida de pessoa a pessoa através da picada de mosquitos. Existem várias forma clínicas da doença, que podem evoluir com complicações graves e levar à morte, especialmente as crianças.

Atualmente, a malária é endêmica em 106 países da África, Ásia e América Latina – incluindo o Brasil – onde há circulação do parasita e presença do mosquito transmissor. A distribuição geográfica das áreas onde ocorre transmissão da doença se sobrepõe às regiões de menor desenvolvimento sócio-econômico, em que a população tem acesso limitado a serviços de cuidado com a saúde e a recursos para prevenção, diagnóstico e tratamento. No ano de 2009, ocorreram cerca de 225 milhões de casos de malária no mundo, que resultaram em 781 mil mortes pela doença. Para ter uma idéia da magnitude desses números, basta imaginarmos que a cada 45 segundos, uma criança morre de malária.
 
O tema é ainda de maior relevância quando consideramos que é possível prevenir e até mesmo erradicar a malária, o que já foi atingido nos EUA e na Europa. A eliminação da malária em países de recursos limitados representa um passo essencial para seu desenvolvimento e estabilidade sócio-econômica, pois aumenta a expectativa e a qualidade de vida de seus habitantes.

A prevenção da malária pode ser feita a partir de medidas relativamente simples de saúde pública, como distribuição de “mosquiteiros” impregnados com inseticida, pulverização de inseticidas no interior dos domicílios e disponibilização de exames diagnósticos e drogas antimaláricas. Para tal, a comunidade internacional mobilizou-se em um esforço coordenado para o combate à malária, que pretende eliminar as mortes pela doença até 2015.

Como parte dessa ação global, há quatro anos é celebrado, no dia 25 de abril, o Dia Mundial da Malária. A ocasião tem o objetivo de incentivar o compartilhamento de informações sobre os resultados e os progressos obtidos até o momento rumo à eliminação da malária, de maneira a encorajar novas iniciativas e investimentos, além de identificar as barreiras que precisam ser vencidas para o sucesso nesse desafio.
 
No Brasil, a transmissão de malária praticamente limita-se à região Amazônica, porém ainda representa um problema de saúde pública nesta área. O Ministério da Saúde também se vale da estratégia de mobilização multissetorial para o combate à doença, envolvendo gestores de saúde dos estados e municípios afetados, a fim de promover de forma articulada a ordenação populacional e priorizar as ações de vigilância, prevenção e controle da malária.

Todos nós podemos ajudar participar dessa luta mundial, simplesmente ajudando a disseminar informação sobre o tema, no sentido de promover a conscientização coletiva, criando um campo fértil para que germinem iniciativas e esforços para a eliminação da malária.

Leia mais: http://www.rollbackmalaria.org/worldmalariaday/index.html 

Este material foi elaborado pelo Fleury, tendo caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.

​ 

Relacionados

Não existem artigos relacionados.