Vacina contra HPV para meninas e meninos

Por: Fleury Medicina e Saúde

Edição: 

Vacina contra HPV para meninas e meninos

Saiba o que é, como prevenir e a importância de iniciar a vacinação do HPV antes dos 12 anos de idade

O Ministério da Saúde incluiu entre as vacinas disponíveis no sistema público de saúde, a partir de 2014, a contra o HPV e tem como foco a proteção de meninas de 10 e 11 anos, idade considerada ideal para prevenção. Você já sabe porque deve vacinar o seu filho? Para esclarecer esta e outras dúvidas sobre o assunto, conversamos com o infectologista Jessé Reis Alves, coordenador do serviço de vacinação do Fleury.

Em geral, as pessoas adquiriem o HPV, não tem sintomas e podem eliminar naturalmente o vírus, sem desenvolver a doença. Na maioria dos casos acontece isso. Mas outras pessoas não eliminam e podem ter as doenças provocadas por ele. A questão é que não dar para saber quem elimina e quem não elimina”,
conclui Jessé Reis, ao ressaltar a importância da vacina.
 
O que é o vírus HPV?

Se trata de um vírus relacionado, principalmente, a câncer de colo de útero ou verrugas genitais, no caso dos homens. Também poderia evoluir para cânceres retal, de boca ou de pênis. Embora haja mais de uma centena de tipos de vírus HPV, os principais tipos são o 9 e 11 (responsáveis por 90% dos casos de verrugas genitais) e 16 e 18 (responsáveis por 70% dos casos de cólo de útero). Por isto existem dois tipos de vacina: a bivalente (contra os vírus 16 e 18) e a quadrivalente (contra os vírus 16, 18, 9 e 11).
 
Qual a principal forma de transmissão?

A principal forma de transmissão é a sexual, mas que existem outras bem menos frequentes, como da gestante para o bebê, quando este atravessa a vagina na hora do parto; por meio de objetos ou mãos contaminadas.

 

Como seria explicar para uma mãe que é importante que a sua filha de 9 anos tome a vacina?
 
Embora nesta idade não haja o risco pela ausência de atividade sexual, ao longo da vida a mulher virá a ter essas relações e, consequentemente, poderá estar exposta ao vírus. Quanto antes vacinar a criança, antes mesmo de começar a vida sexual, melhor para prevenir a vida adulta da mesma.
 
A vacina protege 100% contra o vírus?

Estudos que acompanharam a evolução do quadro de pessoas vacinadas mostram que a proteção é próxima de 100%, tanto contra os casos de câncer quanto de verrugas genitais.
 
As campanhas pró-vacinação contra HPV são sempre mais voltadas às mulheres, e não há uma preocupação quanto à vacinação dos homens.
Qual a sua opinião sobre isto?

Isso está mudando e os homens estão se vacinando mais para evitar as verrugas genitais, que são desconfortáveis do ponto de vista físico e cultural da sociedade. Além disso, o homem pode contrair e transmitir o vírus. No caso masculino, a vacina é a quadrivalente, justamente o tipo de vacina adotada pelo Ministério da Saúde, por ter cobertura mais ampla (câncer e verrugas).
 
Como é o processo de vacinação?

São três doses, sendo que a segunda ocorre dois meses após a primeira e a terceira seis meses depois.
Inicialmente, os estudos eram mais voltados para a vacina bivalente, visto que os riscos de doenças graves provocadas pelo HPV recaem sobre as mulheres, como o câncer de cólo.  A partir dos 9 anos e até qualquer idade as mulheres podem tomar a bivalente. No entanto, a quadrivalente ainda não foi liberada pelo Ministério para mulheres acima de 26 anos. Já no caso do homens, a verruga genital é tratada com produtos químicos ou intervenção cirúrgica, mas que pode deixar sequelas e retornar, visto que o vírus
fica escondido nas células e pode reativar suas atividades.
 
Sua carteira de vacinação esta em dia? Saiba mais sobre o assunto em outra entrevista feita com Jessé Reis.

​ ​​​

Relacionados

Não existem artigos relacionados.