Utilidade da ecocardiografia com Doppler no diagnóstico de hipotiroidismo central subclínico | Revista Médica Ed. 2 - 2014

Ecocardiograma com Doppler pode confirmar suspeita de hipotiroidismo central subclínico

Partindo do fato de que, no hipotiroidismo primário, a função miocárdica reflete claramente a ação hormonal nos tecidos periféricos, pesquisadores do Setor de Cardiologia do Grupo Fleury avaliaram o desempenho da ecocardiografia com Doppler na identificação do hipotiroidismo central subclínico, uma vez que, nesses casos, a dosagem sérica dos hormônios tiroidianos não basta para fechar o diagnóstico. Para tanto, o grupo realizou a dosagem de hormônios tiroidianos e a ecocardiografia em 20 pacientes com hipotiroidismo primário clínico, em dez com a forma central clínica, em outros dez com a forma primária subclínica e em 25 com doença hipotálamo-hipofisária e níveis normais de T4 livre, tendo ainda utilizado um grupo controle de 28 indivíduos saudáveis. 

A partir de curvas ROC obtidas por meio dos dados de pacientes com hipotiroidismo clínico, foi feito o diagnóstico de hipotiroidismo central subclínico nos portadores de doença hipotálamo-hipofisária. Os parâmetros ecocardiográficos com maior área sob a curva ROC (=0,94) incluíram tempo de contração isovolumétrica, relação do tempo de contração isovolumétrica com o tempo de ejeção ventricular e índice de performance miocárdica. Quando havia alteração em, pelo menos, um deles, a acurácia diagnóstica do método chegava a 93%. Dessa forma, os pesquisadores detectaram o hipotiroidismo central subclínico em 14 de 25 pacientes (56%) com doença hipotálamo-hipofisária e T4 livre normal. 


Para ratificar os achados, esses indivíduos foram reavaliados após atingirem níveis predefinidos de hormônios tiroidianos com a reposição de tiroxina. As alterações ecocardiográficas melhoraram significativamente depois do tratamento (0,001<p<0,05) e correlacionaram-se com as variações do TSH (0,63<r<0,68) e do T4 livre (-0,62<r<-0,55) no hipotiroidismo primário, bem como com as variações do T4 livre na forma central (-0,72<r<-0,50). “O estudo mostrou que a ecocardiografia com Doppler é um método útil e acurado para o diagnóstico do hipotiroidismo central subclínico em pacientes com doença hipotálamo-hipofisária e T4 livre normal”, conclui o cardiologista Fabio Doin, médico do Fleury e primeiro autor desse estudo, que, vale a menção, foi publicado no European Journal of Endocrinology.


Parâmetros ecocardiográficos para diagnóstico de hipotiroidismo central subclínico em pacientes com doença hipotálamo-hipofisária e T4 livre normal




Cada círculo representa um paciente. A linha horizontal pontilhada indica os valores escolhidos como cutoff : 53 ms para TCI, 0,18 para a relação entre TCI e TEV e 0,46 para IPM. 


Os pacientes com doença hipotálamo-hipofisária e T4 livre normal que apresentaram pelo menos um dos três parâmetros acima do valor de cutoff foram diagnosticados com hipotiroidismo central subclínico e estão representados pelos círculos cheios.