Cultura, urina jato médio

Outros nomes:

BACTERIOLOGICO URINA JATO MEDIO

CULTURA URINA JATO MEDIO

URINA JATO MEDIO, CULTURA

CULTURA DE URINA JATO MÉDIO

URINOCULTURA, JATO MÉDIO

CULTURA PARA AERÓBIOS EM URINA DE SEGUNDO JATO

UROCULTURA, SEGUNDO JATO

Agendamento

Este exame nao necessita ser agendado.

Prazo de Entrega

Em até 2 dias úteis (incluindo sábados) às 14h*

* Este prazo pode variar de acordo com a unidade. Por favor, ligue para a nossa Central de Atendimento para confirmar o prazo na unidade de preferência.

Orientações necessárias

- A amostra deve ser colhida na unidade de atendimento devido à necessidade de o cliente receber orientação adequada para realizar o procedimento sem risco de contaminação da urina. A coleta em casa só pode ser realizada em situações especiais, mediante autorização do assessor médico do Fleury, após contato com o médico assistente. - Em caso de uso anterior ou atual de antibióticos, o cliente tem de informar o nome do medicamento utilizado. É importante lembrar que a realização da cultura durante o tratamento com antimicrobiano pode gerar resultados falsamente negativos. - Importante: - O cliente precisa colher a primeira urina da manhã ou, então, qualquer outra amostra isolada desse material, desde que fique pelo menos duas horas sem urinar previamente. - Caso a coleta se destine tanto ao exame de cultura quanto ao de urina tipo I, é necessário seguir as orientações para a realização da cultura de urina e recomendação que não pode ter feito uso de contraste radiológico nas 48hs antes que antecedem o exame. - Em caso de haver ultrassom de abdome total ou pelve marcado no mesmo dia da coleta de urina, o cliente deve ficar quatro horas sem urinar antes do exame. Para material colhido fora do Fleury - É necessário obter, no mínimo, 5 ml de urina em frasco estéril de boca larga ou coletor universal estéril. - O horário da coleta precisa ser anotado no frasco e o material deve ser entregue em até 24 horas, se refrigerado. A coleta em casa só pode ser realizada nas situações: 1- Cliente apresenta impossibilidade ou limitação de locomoção, e a coleta será realizada por profissional/cuidador previamente orientado pela enfermagem de uma das unidades do Fleury; 2- Cliente coletou a amostra em frasco de coleta universal, à noite, após o fechamento das unidades Fleury, manteve a amostra no refrigerador (2 a 8ºC) e já está em uso de antimicrobiano; 3- Cliente cujo cadastro indica autorização prévia do médico responsável pelo exame no Fleury. -- Nas situações descritas acima o cliente deve seguir as seguintes recomendações antes de realizar a coleta: - Tomar banho ou higienizar a genitália com água e sabonete comum, e secar com toalha limpa e seca, antes de realizar a coleta. - seguir rigorosamente as instruções escritas para a coleta da amostra. - Na vigência de menstruação, corrimento vaginal ou utilização de creme ou óvulo vaginal, a coleta deve ser realizada em uma unidade do Fleury, em mesa ginecológica.

Processamento e adequação da amostra

- ATENÇÃO - Este exame é aplicável exclusivamente a amostras de segundo jato de urina (jato médio). Não pode ser utilizado para amostras coletadas com sonda, com saco coletor, coletadas de nefrostomia ou cistostomia, pois nesses casos o exame correto é WUR. - Antes de semear a urina, inspecionar a placa de meio cromogênico (CPS) quanto à presença de contaminação ou desidratação. Aguardar para que as placas alcancem a temperatura ambiente antes do uso. --Semear de forma quantitativa, conforme instrução abaixo: - Homogeneizar o frasco de urina em movimentos "em oito" e mergulhar perpendicularmente a alça calibrada estéril de 1 microlito. -Verificar se o filme permanece na alça. Caso o filme se rompa, repetir o processo acima. -Descarregar o volume da alça fazendo uma estria central de uma extremidade a outra da placa de CPS. - Perpendicularmente a estria central, fazer estrias o mais próximo possível uma das outras, pegando toda largura da placa. - Encaminhar a placa para a microbiologia em temperatura ambiente. - As placas de meio cromogênico contaminadas ou desidratadas não podem ser utilizadas, devendo ser segregadas e encaminhadas à Microbiologia. - As Unidades Leblon e Brasília devem encaminhar as placas em temperatura ambiente e um tubo de alíquota refrigerado. - As demais unidades e hospitais, não precisam encaminhar o frasco de urina, a não ser que isso seja solicitado por manifestação. Neste caso, o frasco tem de ser enviado no mesmo dia da solicitação, no menor tempo possível. - Estabilidade da amostra: -- temperatura ambiente: 30 minutos; -- refrigerada (2-8°C): 24 horas.

Método

- Cultura quantitativa em meio cromogênico

Interpretação e comentários

- Está indicado em pacientes com sintomas compatíveis com infecção do trato urinário ou na avaliação prévia de pacientes que serão submetidos a procedimentos urológicos invasivos. - As infecções do trato urinário (ITU) são, em sua maioria, de etiologia bacteriana, e o principal agente é Escherichia coli, bacilo gram-negativo, presente na microbiota fecal humana. Outros bacilos gram-negativos, cocos gram-positivos, leveduras ou vírus também podem causar ITU. O trato urinário é considerado estéril, excetuando a porção anterior da uretra. Vários fatores contribuem para a manutenção dessa esterilidade: o baixo pH, a elevada osmolaridade, o fluxo de urina, proteína de Tamm-Horsfall, e a imunidade humoral e celular locais. Apesar da atuação desses vários fatores, em vários casos o equilíbrio é rompido e usualmente um agente da própria microbiota do indivíduo ascende via uretra atingindo a bexiga e em uma proporção menor ureteres e rins. Raramente a ITU tem origem por via hematogênica, sendo dos exemplos a ITU por Staphylococcus aureus em pacientes febris, que torna mandatória a investigação de endocardite. As cistites não complicadas ocorrem mais frequentemente em mulheres em idade reprodutiva, e os sintomas mais comuns são disúria, aumento da frequência das micções ou urgência urinária, dor supra-púbica e eventualmente dor lombar. Enquanto a presença de apenas um desses sintomas eleva para cerca de 50% a probabilidade de ITU, a concomitância de disúria, aumento da frequência das micções e ausência de irritação ou corrimento vaginal indica ITU em mais de 90% dos casos. Por outro lado, não é possível excluir o diagnóstico de ITU caso a paciente apresente um ou mais sintomas ou sinais (hematúria ou leucocitúria), mas na presença de irritação vaginal ou leucorréia o diagnóstico de ITU torna-se pouco provável. O paradigma da necessidade da contagem igual ou superor a 105 UFC/ml, para confirmação do diagnóstico de ITU, foi quebrado por várias publicações que demonstraram que contagens tão baixas quanto 102 UFC/ml de E. coli ou S. saprophyticus, em pacientes sintomáticas, são indicativos de ITU. Considerando que a via usual de infecção é ascendente, no início do quadro de disúria a infecção pode estar limitada à porção posterior da uretra e a cultura do segundo jato de urina pode ser negativa; portanto, nas pacientes com início recente do quadro e queixa de disúria terminal convém avaliar também o primeiro jato. A ITU assintomática é um diagnóstico microbiológico, e os critérios mais aceitos para sua definição em mulheres consistem de: duas culturas de amostra de jato médio de urina, coletadas em dias distintos, positivas para a mesma espécie bacteriana, em contagem ? 105 UFC/ml. Ocorre em 1% a 5% das mulheres saudáveis em fase reprodutiva, e torna-se mais prevalente em gestantes (1,9% a 9,5%), em mulheres com idade entre 50 a 70 anos (2,8 % a 8,6%) e em mulheres diabéticas (9,0% a 27%). Em homens o critério mais aceito é de uma única cultura de amostra de jato médio, positiva para enterobactéria, em contagem ? 105 UFC/ml. A piúria está presente em cerca de 30 % das mulheres jovens, 70 % das mulheres diabéticas, e 30 % a 70 % das gestantes com bacteriúria assintomática; consequentemente a presença ou ausência de piúria não pode ser utilizada como critério para diferenciação entre ITU sintomática e assintomática. - Quando não for solicitado o exame de urina tipo 1 na mesma amostra utilizada para cultura, será incluído na ficha do cliente o exame do sedimento urinário.

Hospitais

- Semear a urina em placas de meio cromogênico (CPS), de forma quantitativa, conforme abaixo: - Homogeneizar o frasco de urina em movimentos "em oito" e mergulhar perpendicularmente a alça calibrada estéril de 1 microlito. -Verificar se o filme permanece na alça. Caso o filme se rompa, repetir o processo acima. -Descarregar o volume da alça fazendo uma estria central de uma extremidade a outra da placa de CPS. - Perpendicularmente a estria central, fazer estrias o mais próximo possível uma das outras, pegando toda largura da placa. - Encaminhar a placa para a microbiologia em temperatura ambiente. - Em caso de volumes pequenos, semear normalmente com alça calibrada, de forma quantitativa

Valor de referência

- Cultura Negativa

Dias de Medicamento

IMPORTANTE: Anotar medicamento(s) do (s)último(s): 7 dias(s).

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou entre em contato com a nossa Central de Atendimento pelo Whatsapp (11) 3179-0822.

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 10x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame pelo Whatsapp (11) 3179-0822.