Impedâncio-phmetria, esofágica prolongada

Outros nomes:
IMPEDÂNCIO-PH-METRIA ESOFÁGICA
MONITORIZAÇÃO PROLONGADA DE IMPEDÂNCIA E PH INTRALUMINAR ESOFÁGICO
MONITORIZAÇÃO COMPUTADORIZADA DE IMPEDÂNCIA E PH INTRAESOFÁGICO
PESQUISA DE REFLUXO GASTROESOFÁGICO ÁCIDO E “NÃO-ÁCIDO” DE 24 HORAS
MEDIDA DE REFLUXO GASTROESOFÁGICO ÁCIDO E “NÃO-ÁCIDO”
IMPEDÂNCIO-PHMETRIA ESOFÁGICA PROLONGADA
IMPEDÂNCIO-PHMETRIA ESOFÁGICA DE 24 HORAS

Jejum

Para todas as idades jejum mínimo necessário de 5 horas

Agendamento

Precisa Agendar

Prazo de Entrega

Em até 2 dias úteis (sem contar o sábado) às 18h

Orientações necessárias

I - Informações sobre o exame: - A impedâncio-pH-metria é uma das duas modalidades oferecidas pelo Fleury para a monitoração prolongada do refluxo gastroesofágico. Consiste na introdução de um eletrodo com calibre de 2 milímetros, por via nasal, no esôfago e na fixação de um eletrodo de referência no tórax. - Diferentemente da pHmetria, que só avalia o refluxo ácido, a impedâncio-pHmetria avalia todas modalidades de refluxo: ácido, não-ácido, liquido e gasoso. A monitoração dura de 18 a 24 horas; depois desse período, o cliente precisa retornar para retirada do sistema, em horário e o local a serem informados no dia do colocação do equipamento. Durante a monitorização, não é possível tomar banho. Portanto, recomenda-se banhar-se antes do exame. - A impedâncio-pH-metria não é realizada sob sedação. Utiliza-se uma pomada anestésica na narina. Dessa forma, não é necessário estar acompanhado para fazer o exame. II - Critérios de realização - Este exame é realizado somente com pedido médico, a partir de 14 anos de idade. - Menores de 18 anos devem estar acompanhados de um adulto responsável. - Caso tenha realizado endoscopia digestiva alta, radiografia contrastada do esôfago, manometria e pH-metria esofágica, o cliente deve apresentar esses resultados no dia do exame. III - Preparo - jejum mínimo de cinco horas. - Antes do exame, é possível ingerir pequenos volumes de água para tomar eventuais medicamentos, que não sejam interferentes com o exame; ou seja, medicamentos para pressão, coração, diabetes, epilepsia, etc. - Os medicamentos que interferem com o exame e, portanto, tem que ser suspensos, são aqueles que reduzem a acidez gástrica; ou seja: os antissecretores. O cliente deve suspender, por sete dias antes do exame, o uso de antissecretores (inibidores de bomba de prótons e antagonistas H2). Esses medicamentos têm os seguintes nomes científicos: omeprazol, pantoprazol, rabeprazol, lansoprazol e esomeprazol, dexlansoprazol, cimetidina, ranitidina, famotidina e vários nomes comerciais, dentre eles: Losec®, Ogastro®, Victrix®, Peprazol®, Pantozol®, Omeprazol®, Gastrium®, Pariet®, Nexium®, Tecta®, Dexilant®, Tagamet®, Antak®, Zylium®, Famox®, etc. - Atenção: esses medicamentos devem ser suspensos a não ser que o médico solicitante especifique no pedido, que deseja que o exame seja feito na vigência dos medicamentos. Nesse caso, o exame deve ser realizado atendendo ao pedido do médico; ou seja, sem suspender esses medicamentos. Se o paciente tiver muitos sintomas com a interrupção dos antissecretores, pode usar até a véspera do exame medicamentos alcalinos; ou seja: Maalox, Mylantha, Riopan, Simeco-plus,Magnésia bisurada, etc. - O cliente não realizar exames que necessitem de sedação nas seis horas anteriores ao exame e não pode realizar exames que necessitem de jejum durante a monitorização; ou seja, nas 18 a 24h que permanece com o equipamento.

Valor de referência

- Descritivo.

Interpretação e comentários

- A pH-metria esofágica prolongada é considerada o padrão-ouro no diagnóstico do refluxo gastroesofágico (RGE) ácido. Entretanto, cerca de 30% dos indivíduos com sintomas sugestivos de RGE apresentam persistência dos sintomas quando estão sendo tratados com medicamentos anti-secretores, a exemplo de bloqueadores H2 e inibidores de bomba de prótons (IBP), o que tem sido atribuído ao RGE não-ácido. - Quando a acidez gástrica está tamponada, como no período pós-prandial ou durante tratamento com anti-secretores, o RGE é essencialmente não-ácido e, portanto, dificilmente detectado pela pH-metria convencional. A limitação do método criou a necessidade de desenvolvimento de uma técnica capaz de medir esse tipo de RGE. - A impedância intraluminal esofágica registra o fluxo retrógrado de conteúdo gástrico, independentemente de seu pH, e, quando combinada com a pH-metria (impedâncio-pH-metria), permite detectar RGE ácido e não-ácido. Assim, o método consegue esclarecer se a queixa clínica apresentada se refere a refluxo ácido ou não-ácido ou mesmo descartar a relação dos sintomas com refluxo. Adicionalmente, a impedâncio-pH-metria caracteriza o RGE quanto à sua composição (liquido, gasoso ou misto) e identifica o nível de ascensão do refluxo no esôfago.

Principais indicações

1- Esclarecimento diagnóstico em pacientes com sintomas sugestivos da Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) que não apresentem esofagite ao exame endoscópico e que tenham pHmetria normal. 2- Esclarecimento diagnóstico em pacientes com sintomas atípicos (dor torácica e sensação de globus faríngeo) e sintomas extra-esofágicos de refluxo (respiratórios e otorrinolaringológicos). 3- Esclarecimento diagnósticos de pacientes com sintomas sugestivos de refluxo gastroesofágico, com suspeita de participação de refluxo "não-ácido". 4- Avaliação da eficácia de tratamento clínico ou cirúrgico do refluxo.

Dias de Medicamento

0

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (11) 3179-0822

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 6x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: (11) 3179-0822