Triclorocompostos, totais, urina

Outros nomes:
TRICLOROCOMPOSTOS TOTAIS NA URINA
TRICLOROETANO
VINIL TRICLORETO
ETANO TRICLORETO
METIL CLOROFORMIO
CLOROTENE
ESTROBANO
TRICLOROETILENO
TRICLENE
NEUTRI

Agendamento

Este exame nao necessita ser agendado.

Prazo de Entrega

Em até 12 dias corridos às 18h

Orientações necessárias

- Este exame é ocupacional, devendo ser realizado em amostra de urina pós-jornada, colhida no fim do turno do último dia da semana de trabalho. - A coleta não pode ser feita no posto de trabalho. Quando feita nas dependências da empresa, deve ser feita no ambulatório ou em outro ambiente limpo e sem contaminação. - Antes da coleta, deve ser feita rigorosa higiene das mãos. - Não usar a vestimenta usual de trabalho ao coletar esse exame. - Material colhido fora do Fleury - O cliente deve retirar, na unidade de atendimento, o frasco adequado e a folha de instrução para a coleta do material. - A amostra pode ser entregue em até três dias, desde que mantida sob refrigeração.

Processamento e adequação da amostra

- Aliquotar em dois tubos de 10 mL e vedar bem. - Enviar refrigerado - Volume mínimo: 20 mL - Estabilidade da amostra: -- temperatura ambiente: não aceitável; -- refrigerada (2-8ºC): 5 dias; -- congelada (-20°C): não aceitável.

Método

- Espectrofotometria visível

Valor de referência

- Para a população não exposta, não há valores estabelecidos. - Índice biológico máximo permitido (IBPM): -- para a população exposta ao agente químico tricloroetileno: triclorocompostos totais (indicador biológico) até 300 mg/g de creatinina; -- para a população exposta ao agente químico tricloroetano: triclorocompostos totais (indicador biológico) até 40 mg/g de creatinina.

Interpretação e comentários

O triclorocompostos se apresentam na forma líquida, incolor, com odor semelhante ao clorofórmio. Utilidade - A determinação dos triclorocompostos totais objetiva monitorizar os indivíduos expostos no ambiente do trabalho aos solventes tricloroetileno e tricloroetano (metilclorofórmio). Ocorrência, absorção e excreção - A exposição ao tricloroetileno e ao tricloroetano está relacionada com as atividades ocupacionais descritas abaixo: -- o tricloroetileno é utilizado como solvente e desengraxante na limpeza de peças metálicas, na produção de borrachas, na extração de óleo e de gorduras de produtos vegetais, no líquido de limpeza de lentes de contato, em produtos para lavagem a seco (roupas, automóveis, etc.), em produtos de limpeza, como removedores e fluidos para carpetes, e nas indústrias química e têxtil, analgésico e anestésico; -- já o tricloroetano (metilclorofórmio) é usado como desengraxante na limpeza de peças metálicas e como solvente de tintas e colas, além de entrar na composição de aerossóis e de produtos para lavagem a seco. - As vias de entrada são: inalatória, ingestão e contato cutâneo A porção de tricloroetileno retida no organismo por meio de inalação, aproximadamente 55%, tem um metabolismo lento, sendo excretada em três semanas. Metabolismo hepático (cit P450) O ácido tricloroacético, um de seus principais metabólitos, possui uma meia-vida de cerca de quatro dias. Em torno de 15% do solvente é exalado inalterado. - Por sua vez, o tricloroetano apresenta meia-vida de aproximadamente oito horas e meia e exalação inalterada em grande proporção (70%). Ao ser.metabolizado, esse composto se transforma em tricloroetanol e, posteriormente, em ácido tricloroacético (0,5% da dose inicial). Efeitos adversos - A exposição por curto período ao tricloroetileno e ao tricloroetano pode causar depressão do sistema nervoso central e dermatite. Pode também, irritação respiratória, sendo que nos casos graves levar a edema pulmonar. A ingestão pode provocar náuseas, vômitos, irritação trato digestório e dores abdominais. - Já a exposição crônica ao tricloroetileno provoca efeitos como narcose, neuralgia do trigêmeo, parestesia facial e fraqueza dos músculos envolvidos na mastigação. Se o indivíduo ficar exposto cronicamente a baixas concentrações do composto, existe a possibilidade de desenvolver disfunção subclínica de nervos periféricos. Em tais casos, porém, a eletroneuromiografia mostra melhor sensibilidade diagnóstica. Outras raras manifestações incluem tremor, ataxia e disfunção óptica. Pode também causar lesões na pele (ressecamento, fissuras e eczema). - Por fim, a exposição crônica ao tricloroetano costuma ocasionar lesão renal, evidenciada por elevação do nível de creatinina, ureia e proteína transportadora do retinol, e lesão do fígado, demonstrada por elevação das enzimas hepáticas. - Observações importantes: - A ingestão de etanol (álcool) em período coincidente com o da exposição inibe a metabolização desses solventes e, por conseguinte, diminui sua excreção. - Em caso de ocorrer exposição simultânea ao tricloroetileno e ao tricloroetano ou também em associação com o tetracloroetileno, recomenda-se realizar avaliação ambiental.

Dias de Medicamento

0

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (11) 3179-0822

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 6x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: (11) 3179-0822