Informe-se sobre COVID-19 clicando aqui

As redes sociais e a obesidade | Revista Fleury Ed. 13

Um estudo publicado pela revista New England Journal of Medicine concluiu que a obesidade pode ser definida também pelas relações sociais que estabelecemos.

Um estudo publicado pela revista New England Journal of Medicine concluiu que a obesidade pode ser definida também pelas relações sociais que estabelecemos. Foi medido o peso de 12 mil indivíduos, durante 32 anos, e ficou comprovado que, quando um amigo próximo se torna obeso, a chance de a pessoa ter um ganho de peso triplica. O que a pesquisa aponta é que, ao ver um amigo ganhando peso, a obesidade acaba perdendo o aspecto negativo, e passa a ser mais aceita.

“As pessoas acabam pensando que, se alguns amigos têm barriga e outros amigos também estão engordando, não tem problema estar acima do peso”, afirma José Gilberto H. Vieira, assessor médico em Endocrinologia do Fleury. Além disso, comer é um ato social. “As pessoas trocam receitas, falam de comida, vão a restaurantes. Tudo isso tem uma influência grande também”, afirma Julio Abucham, endocrinologista e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).