Boa noite, mamãe! | Revista Fleury Ed. 14

Durante a gravidez, dormir bem é fundamental para a boa saúde da mulher e do bebê.

As futuras mães sabem: a chegada do bebê mexe com o sono muito antes de ele nascer. No início da gestação, a mu­lher é tomada por um sono que, às ve­zes, parece incontrolável. No final, acontece justa­mente o contrário: a insônia vem e várias noites são passadas em claro. Isso é motivado por diversos fato­res, entre eles as oscilações hormonais. “A progeste­rona age como sedativo. Já os picos de ocitocina, que ocorrem principalmente no final da gravidez, aumen­tam a atividade uterina e podem causar insônia”, ex­plica a neurologista e assessora médica em Polissono­grafia do Fleury, Rosana Souza Cardoso Alves.

Também é muito comum que as preocupações com a nova fase da vida, as inseguranças em relação ao futuro, o medo do parto e as angústias em relação ao bem-estar do bebê provoquem insônia. Para com­pletar, existem ainda as mudanças físicas, como o crescimento do útero, que acarreta compressão da bexiga, obrigando a grávida a levantar-se diversas vezes à noite para ir ao banheiro.

“O sono da gestante é agitado, interrompido. Mui­tas se tornam ainda mais agitadas no final da gravi­dez, devido à dificuldade de encontrar uma posição confortável com o crescimento do abdômen”, observa o ginecologista Julio Elito Junior, professor adjunto do Departamento de Obstetrícia da Escola Paulista de Medicina (Unifesp). Segundo ele, outras mudanças comuns são o ganho de peso e a congestão nasal, que predispõe ao ronco, e as câimbras, que geralmente ocorrem durante o sono. Outra queixa comum das gestantes é a azia, devido ao refluxo gastroesofágico.

O resultado de tantas mudanças é que a mulher passa o dia sonolenta e à noite tem picos de insônia. “Primeiro, a grávida dorme mal por causa da ansiedade. No meio da noite, acorda devido a alterações fisiológicas, como o ronco e mudanças cardiorrespiratórias, que podem pro­vocar falta de ar e mal-estar”, afirma o obstetra David Pares, assessor médico em Medicina Fetal do Fleury.

De acordo com Pares, a sonolência durante o dia pro­voca uma perda no rendimento no trabalho, irritação e redução do poder de concentração. Além disso, é comum ocorrer uma variação muito rápida de quase euforia para depressão. “As ondas cerebrais também são mais inten­sas nessa fase. Por isso, a grávida sonha mais e tem o sono mais agitado”, explica.

A neurologista Rosana Alves alerta para a importân­cia do sono. “É preciso levar uma rotina com horários certos e, quando a sonolência ocorrer durante o dia, o ideal é tirar um cochilo”, ensina. “É bom avisar aos cole­gas e, no caso de exercer alguma atividade de risco (ope­radora de máquinas, motorista, piloto), evitar os horários nos quais a sonolência é maior”, recomenda.

É Importante ter uma rotina de sono. Ao ter sono durante o dia , o ideal é tirar um cochilo

Para dormir melhor
Para curtir essa fase tão especial com mais qualidade de vida, é bom aliar a prática regular de alguma ativi­dade física a uma alimentação saudável. O ideal é con­sumir comidas leves e de fácil digestão. Evite gordu­ras e frituras, e nada de álcool e café. Quanto à pratica de exercícios, isso vai depender das orientações do obstetra. “O indicado é praticar uma atividade aeróbi­ca pela manhã e, no começo da noite, ioga e alonga­mento. A hidroginástica com supervisão para gestan­tes também é excelente”, afirma a neurologista.

E, antes de ir para a cama, a dica é relaxar. Na avaliação de David Pares, a gestante precisa fazer uma atividade an­tes de dormir. “Pode desenvolver alguma habilidade ma­nual (pintura, desenho, bordado, tricô) e outras formas de relaxar, como banho quente e massagem”, aconselha.

O mais importante, de acordo com Rosana, é esclare­cer à futura mamãe que todas essas alterações são fisio­lógicas e características de uma fase transitória. “A reco­mendação é um bom atendimento pré-natal e a consulta a um especialista em sono, se necessário”, diz.

Outras Notícias

Relatório Anual de Sustentabilidade 2019

Acesse o Relatório Anual de Sustentabilidade 2019 do Grupo Fleury, baseado nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) em sua versão Standard, opção Essencial, e em linha com as orientações do Relato Integrado (IR).

Semana Mundial de Conscientização Sobre Alergias

A Organização Mundial de Alergia (World Allergy Organization/WAO) realiza anualmente, juntamente com as diversas sociedades de alergia no mundo, uma semana para a conscientização sobre as doenças alérgicas e suas alterações. A partir de hoje e até o dia 4 de julho traremos informações sobre uma alergia diferente.

Checkpoints para o seu tratamento infusional: O passo a passo para alcançar mais qualidade de vida.

Qualidade de vida é uma das maiores aspirações do ser humano, expectativa que parece distante para quem sofre de doenças crônicas e incapacitantes. Mas, com o avanço das pesquisas e dos novos medicamentos da terapia infusional, é possível um cotidiano mais confortável e com maior autonomia. Para você iniciar seu tratamento com mais tranquilidade e saber quais resultados esperar, trouxemos algumas respostas para ajudá-lo.

Grupo Fleury participa do processo de testes para vacina contra a COVID-19

Grupo Fleury realizará testes para 2 mil candidatos selecionados pela Unifesp para estudo sobre a vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford. Em estudo conduzido pela Escola Paulista de Medicina, da Unifesp, Grupo fará exames do tipo sorológico durante triagem de participantes de experimento. Vacina está sendo testada em 50 mil pessoas em vários lugares do mundo. IMPORTANTE: Os 2000 candidatos para o estudo da vacina serão selecionados exclusivamente pela Unifesp. Nossa central de atendimento não recebe candidaturas.