Informe-se sobre COVID-19 clicando aqui

Contra a febre Chikungunya | Revista Fleury Ed. 31

Ela é parecida com a dengue e o seu transmissor é o mesmo: o mosquito Aedes aegypti. Apesar do nome complicado, a febre Chikungunya tem sintomas que se assemelham aos da dengue, como mal-estar, dores pelo corpo, febre, apatia, cansaço e dor nas articulações.

Ela é parecida com a dengue e o seu transmissor é o mesmo: o mosquito Aedes aegypti. Apesar do nome complicado, a febre Chikungunya tem sintomas que se assemelham aos da dengue, como mal-estar, dores pelo corpo, febre, apatia, cansaço e dor nas articulações. A grande diferença entre as doenças, porém, está nas sequelas. A dengue pode provocar hemorragia, o que não acontece com a febre Chikungunya. No entanto, metade dos indivíduos infectados também desenvolve artrite crônica, segundo a literatura médica. Segundo o Ministério da Saúde, até o dia 15 de novembro de 2014 foram registrados 1.364 casos no Brasil, sendo 125 confirmados por exame laboratorial e 1.239 por critério clínico-epidemiológico. Atento a esses números, o Grupo Fleury lançou, em dezembro, um teste molecular para detectar Chikungunya. O exame é feito em todas as unidades das marcas do Grupo, entre elas o Fleury Medicina e Saúde, a partir de uma amostra de sangue, e não exige preparo prévio. Muito sensível, o teste é capaz de identificar o vírus em pessoas com apenas um dia de doença. O resultado fica disponível aos clientes em até quatro dias. Outro grande diferencial é o preço do teste a fim de aumentar os esforços no combate à doença no país. “Fizemos questão de deixar o mais acessível possível. Por isso, estará disponível aos nossos clientes a preço de custo”, informa o diretor clínico do Grupo Fleury, Celso Granato.