Elogio à preguiça | Revista Fleury Ed. 24

A tradição nos descreve o preguiçoso como uma figura detestável. Mas, ao acusá-lo de indolente, improdutivo, incompetente, nostálgico, melancólico, indiferente e lento, não se dá conta de que, na realidade, está fazendo um elogio.

Adauto Novaes
Jornalista e professor

A tradição nos descreve o preguiçoso como uma figura detestável. Mas, ao acusá-lo de indolente, improdutivo, incompetente, nostálgico, melancólico, indiferente e lento, não se dá conta de que, na realidade, está fazendo um elogio. É certo que o preguiçoso recusa o trabalho inútil e repetitivo e não quer contribuir para o mundo do “progresso”, que cria objetos admiráveis e indispensáveis, mas que nos deixa, como herança, neuroses, depressões, alienações, desastres, enfim, uma economia de guerra.

Na era do desenvolvimento científico e digital, máquinas “economizam” o trabalho mecânico, mas criam dois novos problemas: primeiro, uma espécie de intoxicação voluntária, isto é, “mais a máquina nos parece útil, mais ela nos torna incompletos”, nas palavras do poeta e ensaísta Paul Valéry.

O homem se entrega voluntariamente a um tempo que não é o da existência “de seus prazeres, desejos e de domínio do próprio corpo, mas a um tempo que é o da continuidade da produção e do lucro”, segundo Foucault. Objetos da especulação, os homens estão sempre ocupados. A reivindicação de tempo livre tornou-se quase que palavra de ordem subversiva: “preciso tanto de nada fazer que não me resta tempo para trabalhar”, conclama o pensador Pierre Reverdy. Daí decorre o segundo problema, bem mais complexo: nunca se trabalhou tanto e nunca se pensou tão pouco, as potências auxiliares mecânicas e digitais tendem a reduzir nossas forças de atenção e de capacidade de trabalho mental, o que produz novos fenômenos, como impaciência, velocidade e volatilidade nunca vistas. Como escreveu Paul Valéry, “adeus, trabalhos infinitamente lentos, catedrais de trezentos anos cujas construções intermináveis acomodavam curiosas variações e enriquecimentos sucessivos... Adeus, perfeições da linguagem, meditações literárias e buscas que tornavam as obras comparáveis, ao mesmo tempo, a objetos preciosos e instrumentos de precisão!”.

O preguiçoso é isso: dedica-se ao lento e permanente trabalho de criação de obras de arte e de pensamento. É por isso que ele presta um grande serviço e ajuda a responder a velha questão moral: “o que devo fazer?”. Dependendo da resposta, teremos diferentes definições do que seja o homem, a política, as crenças, o saber, nossa relação com o mundo e, principalmente, com o trabalho.

Outras Notícias

Relatório Anual de Sustentabilidade 2019

Acesse o Relatório Anual de Sustentabilidade 2019 do Grupo Fleury, baseado nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) em sua versão Standard, opção Essencial, e em linha com as orientações do Relato Integrado (IR).

Semana Mundial de Conscientização Sobre Alergias

A Organização Mundial de Alergia (World Allergy Organization/WAO) realiza anualmente, juntamente com as diversas sociedades de alergia no mundo, uma semana para a conscientização sobre as doenças alérgicas e suas alterações. A partir de hoje e até o dia 4 de julho traremos informações sobre uma alergia diferente.

Checkpoints para o seu tratamento infusional: O passo a passo para alcançar mais qualidade de vida.

Qualidade de vida é uma das maiores aspirações do ser humano, expectativa que parece distante para quem sofre de doenças crônicas e incapacitantes. Mas, com o avanço das pesquisas e dos novos medicamentos da terapia infusional, é possível um cotidiano mais confortável e com maior autonomia. Para você iniciar seu tratamento com mais tranquilidade e saber quais resultados esperar, trouxemos algumas respostas para ajudá-lo.

Grupo Fleury participa do processo de testes para vacina contra a COVID-19

Grupo Fleury realizará testes para 2 mil candidatos selecionados pela Unifesp para estudo sobre a vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford. Em estudo conduzido pela Escola Paulista de Medicina, da Unifesp, Grupo fará exames do tipo sorológico durante triagem de participantes de experimento. Vacina está sendo testada em 50 mil pessoas em vários lugares do mundo. IMPORTANTE: Os 2000 candidatos para o estudo da vacina serão selecionados exclusivamente pela Unifesp. Nossa central de atendimento não recebe candidaturas.