Informe-se sobre COVID-19 clicando aqui

Fique de Olho | Revista Fleury Ed. 14

O colírio fica esquecido por tempos no armário até que, um belo dia, uma irritação nos olhos aparece. Para aplacar o incômodo, você simplesmente abre a portinha do armário e aplica a solução nos olhos, como costuma fazer.

O colírio fica esquecido por tempos no armário até que, um belo dia, uma irritação nos olhos aparece. Para aplacar o incômodo, você simplesmente abre a portinha do armário e aplica a solução nos olhos, como costuma fazer. Esse hábito simples pode causar sérios problemas. Em vez de aliviar os sintomas, o mau uso do colírio pode desencadear desde problemas como dilatação da pupila e perda temporária da visão de perto até doenças como glaucoma e catarata. "Existem mais de 50 tipos de colírios no mercado brasileiro. Apenas de lágrima artificial são mais de 20 opções", diz Márgara Johanson, oftalmologista do Fleury. Dentre os exemplos de automedicação equivocada, ela cita o uso de colírio antiinflamatório ou aqueles que clareiam o olho imediatamente. "Os colírios com corticóides podem provocar aumento da pressão intra-ocular e até mesmo levar ao glaucoma", adverte. Tempo seco, ar condicionado e poluição aumentam a sensibilidade e os casos de irritação e olho seco. A dica da especialista para quem quiser "limpar" os olhos ou aliviar uma irritação é lavar abundantemente os olhos com água e soro fisiológico e buscar orientação de um especialista o mais rápido possível.