Gravidez depois dos 35 | Revista Fleury Ed. 16

Entenda como funciona a tireoide, médicos do Fleury explicam as diferenças de hipertireoidismo e hipotireoidismo e apontam as causas desse mal.

Até que idade é possível esperar para ter filho? Essa é a pergunta que milhares de mulheres estão se fazendo neste momento: 28 anos, 35 anos? A medicina já constatou ser possível ter a primeira gestação depois dos 40. E isso tem sido cada vez mais comum, já que um número maior de mulheres tem deixado para ter o primeiro filho mais tarde.

Geralmente, são mulheres que se dedicaram com afinco à carreira e deixaram para mais tarde a questão da maternidade. A boa notícia é que essas mulheres contam com uma série de orientações e recursos diagnósticos que podem fazer com que a gestação seja a mais tranqüila possível. “O adiamento da gestação em função da carreira profissional e da estabilidade financeira e matrimonial tornou a gravidez após os 35 anos um acontecimento cada vez mais frequente”, afirma Pedro Paulo Pereira, professor-assistente da Clínica de Obstetrícia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

A mulher que opta por engravidar depois dos 35 tem de preparar o corpo e a mente para tal. Boas dicas são: estar no peso adequado, ter uma alimentação saudável e manter uma atividade física. Um bom começo, antes de engravidar, é o casal fazer uma visita ao ginecologista e ao urologista. Em determinadas situações, ajuda muito procurar um serviço de aconselhamento genético. “Em geral, o aconselhamento é mais indicado para casais que têm histórico de alterações genéticas na família, casais com algum grau de parentesco ou ainda aqueles com histórico prévio de perdas gestacionais, o que é mais comum entre as mulheres com mais de 35 anos”, explica Sofia Sugayama, pediatra, especialista em Genética Clínica e assessora médica do setor de Genética Molecular do Fleury Medicina e Saúde.

Antes de engravidar, também é recomendado fazer um check-up. “É importante fazer esse exame preconcepcional até mesmo para saber qual a condição clínica da mulher antes de engravidar”, explica o médico líder do Serviço de Medicina Fetal do Fleury, Mário Henrique Burlacchini de Carvalho. “Especialmente porque, junto com a idade, costumam aparecer alguns problemas de saúde, como pressão alta ou diabetes”, complementa Sofia. A orientação médica também norteará o uso de suplementação vitamínica, por exemplo, o ácido fólico, que ajuda a prevenir algumas malformações do feto relacionadas ao sistema nervoso.

Nove meses
Uma vez grávida, os cuidados são outros. De acordo com Burlacchini o acompanhamento da gestante passou a ser muito mais seguro com a disponibilidade de uma série de exames, que podem ajudar a reduzir a ansiedade dos futuros pais em relação às condições do feto. Um dos exames é a ultrassonografia morfológica, que acompanha a formação do feto e que disponibiliza imagens com qualidade equivalente a 3D e 4D – o que permite visualizar o feto com maior definição. “A ultrassonografia de primeiro trimestre e o rastreamento bioquímico fornecem uma estimativa do risco de o feto ter síndrome de Down”, revela. Outra recomendação para as gestantes em idade avançada é o ecocardiograma fetal, para averiguar possíveis doenças cardíacas no bebê.

Além disso, os obstetras costumam solicitar consultas médicas com mais frequência do que o recomendado às mulheres mais novas.

Para os pais
Já para os homens, o urologista utiliza-se da análise realizada no espermograma, que fornece informações importantes sobre aspectos dos espermatozoides que interferem na fertilidade. De resto, ter a saúde em dia também ajuda – tanto para enfrentar a gestação em si como também as demandas de um bebê.

Por fim, é importante que tanto a futura mamãe quanto o papai estejam preparados psicologicamente para lidar com a nova vida. Saber como integrar uma terceira pessoa na rotina do casal – e ter a estrutura para recebê-la da melhor maneira possível – é fundamental para aproveitar ao máximo a nova vida em família.

Dicas para uma gravidez saudável após os 35
Antes

Adote uma alimentação saudável.
Pratique atividades físicas regulares.
Esteja com a vacinação em dia.
Esteja com o peso ideal (IMC em torno de 23).
Faça um check-up completo antes de começar a tentar engravidar.
Se este é o seu caso, após a interrupção do anticoncepcional, é normal alguma irregularidade na ovulação, o que pode interferir no cálculo da idade gestacional.

Durante

Continue de olho na alimentação.
Faça exercícios de menor impacto, como hidroginástica e caminhada.
Mantenha a suplementação vitamínica que seu médico recomendar.
Siga rigorosamente as orientações do seu médico obstetra. Não falte às consultas de retorno.
Para quem sofre de pressão alta, diabetes e outros problemas similares, os cuidados devem ser redobrados.

Outras Notícias

Cuidado Integrado para Empresas

Empresa mais tradicional de diagnósticos do mercado brasileiro, Grupo Fleury cria serviço de consultoria que auxiliará companhias na retomada de atividades com soluções que envolvem etapa de testagem diagnóstica de colaboradores, consultoria médica para definição de protocolos de segurança de saúde e coordenação de cuidados com aplicação de telemedicina e prontuário eletrônico

Segunda Opinião Gratuita - Grupo Fleury

Conheça o projeto gratuito de cooperação para segunda opinião da equipe de médicos especialistas em laudos de tomografia e radiografias de tórax do Grupo Fleury.

Vacine-se contra a gripe no Fleury

O Fleury disponibiliza a vacina quadrivalente contra a gripe, uma vacina inativada que protege contra quatro diferentes vírus influenza.

Mitos e verdades no tratamento por infusão

Dúvidas nunca faltam quando você começa um novo tratamento. Como em todas as situações novas, por vezes você se sente inseguro e busca informações na internet ou troca ideias com pessoas próximas, para entender melhor o que enfrentará. O mesmo ocorre com o tratamento por infusão, cuja recomendação médica vem se tornando mais frequente a cada dia; pois, resultado de pesquisas científicas comprovam, cada vez mais, os benefícios da terapia biológica no controle dos sintomas, em doenças crônicas autoimunes.