Minha História | Revista Fleury Ed. 15

A história de Elaine Saiz prova que cada um é, em grande parte, responsável pela própria saúde e qie as escolhas certas levam a uma vida muito melhor.

Quando criança e adolescente, pratiquei muito esporte e tinha uma paixão especial pelo basquete. Era uma atividade que me fazia bem física e emocionalmente. Mas, aos 14 anos, precisei começar a trabalhar e me dividia entre o trabalho, durante o dia, e a escola, à noite. A falta de tempo me fez largar o esporte, e acabei me tornando uma pessoa sedentária. Algum tempo depois, tentei retomar os jogos, mas uma lesão me afastou das quadras. E foi assim até 2007. Nesse ano, comecei a sentir fortes dores de cabeça. Em uma ocasião, fui hospitalizada, tamanho era o meu mal-estar. Fui examinada por muitos médicos, submetida a diversos exames, e, por fim, um psiquiatra não teve dúvidas: o diagnóstico era estresse. Na época, estava mesmo muito cansada. Acumulava o trabalho com as tarefas domésticas e ainda enfrentava alguns problemas familiares.

Mas a dor foi a mola propulsora da mudança. Parei, respirei fundo e decidi que tinha que mudar de vida, e isso significava dedicar mais tempo a mim e à minha saúde. Entendi que, se quero chegar bem aos 80 anos – e eu quero muito –, preciso cuidar do meu corpo e da minha mente desde já. Tenho a ajuda de um psiquiatra para cuidar dos assuntos da mente, e para os do corpo, procurei uma nutricionista, que me auxilia com a alimentação. No horário de almoço, faço ginástica na academia da empresa onde trabalho. Faço 40 minutos diários de exercícios, hábito que levei também para a rotina da minha família. No condomínio onde moro, eu, minha filha Mariana e meu marido caminhamos juntos nos fins de semana. Hoje tenho muito mais pique para brincar com a Mariana, que tem sete anos. Com essa rotina, não sinto mais dores de cabeça.

Além disso, tenho um sonho: voltar às quadras. Não quero ser uma atleta, mas quero dar para mim mesma essa oportunidade de jogar algumas horas por semana, por diversão e para melhorar meu condicionamento físico. Daqui a um ano, quero estar em melhor forma física, mais em paz comigo mesma e, claro, continuar livre das dores de cabeça.”

Vire o jogo você tambémMudar de vida parece difícil? O Fleury listou dez dicas para que você deixe de lado o sedentarismo e tenha uma vida melhor

Deixar o sedentarismo de lado não é fácil. Mas mudar esse e outros comportamentos é fundamental para uma vida melhor e mais saudável. Rosana Schneider, coordenadora de Enfermagem do Programa de Gestão de Doenças Crônicas do Fleury, lista aqui dez dicas para que você comece – e continue – uma vida nova.

1) Dê o primeiro passo: Para prevenir e tratar as doenças crônicas (por exemplo, a hipertensão arterial, e o diabetes), não adianta pensar somente em tratamentos e remédios. O importante é, também, mudar o estilo de vida. Isso engloba pensar numa alimentação mais adequada, no gerenciamento de estresse, no combate ao tabagismo e na prática de exercícios físicos regulares. Mudar um comportamento é difícil, mas os impactos desses novos hábitos na saúde costumam começar em curto prazo e trazem grandes benefícios ao longo dos anos.

2) Busque sua motivação: Por exemplo, se o sobrepeso está incomodando, ter hábitos mais saudáveis pode ajudá-lo a perder alguns quilos. Uma atividade física regular lhe trará bem estar e, provavelmente, você voltará a entrar naquela roupa que tanto gosta e que deixou de lhe servir. Se o problema for o estresse, imagine que poderá se livrar das dores de cabeça e ganhar uma convivência melhor com seus colegas. Se for o cigarro, pense que, se deixar de fumar, você terá mais fôlego para acompanhar seus filhos ou seus amigos numa partida de futebol. Pense sempre nos impactos positivos que essas mudanças no seus hábitos terão na qualidade da sua vida..

3) Pense positivo: Se você emagreceu 250 gramas no período em que pensava perder 1 quilo, não encare isso como fracasso. Pense que, afinal de contas, é um resultado positivo. Na próxima vez, você perderá mais 250 gramas e, com isso, em pouco tempo perderá 1 quilo. E assim por diante.

4) Comprometa-se: Lidar com as vontades não é fácil, por isso é importante estar disposto e comprometido com seus novos propósitos. Comprometimento é o grande desafio para qualquer mudança. Ele vem quando você assume um pacto com você mesmo para realizar alguma mudança na rotina ou nos hábitos de vida.

5) Como está a sua agenda? É importante ter um planejamento, uma meta. Identifique as disponibilidades de horário no dia para fazer alguma atividade diferente. Se o problema for controlar o estresse, pense quais atividades seriam prazerosas para amenizar as situações que o desencadeiam. Na primeira semana tente fazê-la por um dia. Na segunda semana, se puder, tente fazê-la em dois dias. E assim por diante. Dessa forma, você saberá a sua medida certa e conhecerá seu objetivo final.

6) Compreenda o seu processo: todos enfrentam dificuldades nas mudanças. É normal, por exemplo, os fumantes voltarem a fumar várias vezes antes de pararem definitivamente. O importante é não enxergar um fracasso nesses fatos. Pelo contrário, eles podem ajudá-lo a melhorar ainda mais a estratégia para mudar seu hábito.

7) Seja realista: às vezes, criamos objetivos inatingíveis. Querer emagrecer 6 quilos em um mês não é realista e nem saudável. O que traz melhores resultados é entender que a mudança de comportamento acontece dentro de uma rotina real, de um planejamento de longo prazo.

8) Porque não uma recompensa? Quando atingir uma meta, presenteie-se com algo que você gosta muito. Isso é um reconhecimento pelo seu esforço e um estímulo gostoso para continuar em frente. Exemplo: você não fuma há dez dias e gosta muito de um restaurante. Que tal um jantar com a família ou os amigos?

9) Faça substituições: se toda vez que toma café, você tem vontade de fumar, beba chá ou suco. Se fuma todos os dias depois do jantar, saia para uma caminhada ou assista a um programa diferente na televisão. Se tem mania de comer salgadinhos quando vê um filme, troque-os por frutas ou verduras picadas. Isso realmente ajuda.

10) Mantenha a rotina: as conquistas que obteve no seu propósito de hábitos mais saudáveis e as orientações que recebe dos profissionais que o ajudam são os tijolos para você construir seu dia a dia. Essas são as dicas para a prevenção e a boa gestão das doenças crônicas.

Outras Notícias

Cuidado Integrado para Empresas

Empresa mais tradicional de diagnósticos do mercado brasileiro, Grupo Fleury cria serviço de consultoria que auxiliará companhias na retomada de atividades com soluções que envolvem etapa de testagem diagnóstica de colaboradores, consultoria médica para definição de protocolos de segurança de saúde e coordenação de cuidados com aplicação de telemedicina e prontuário eletrônico

Segunda Opinião Gratuita - Grupo Fleury

Conheça o projeto gratuito de cooperação para segunda opinião da equipe de médicos especialistas em laudos de tomografia e radiografias de tórax do Grupo Fleury.

Vacine-se contra a gripe no Fleury

O Fleury disponibiliza a vacina quadrivalente contra a gripe, uma vacina inativada que protege contra quatro diferentes vírus influenza.

Mitos e verdades no tratamento por infusão

Dúvidas nunca faltam quando você começa um novo tratamento. Como em todas as situações novas, por vezes você se sente inseguro e busca informações na internet ou troca ideias com pessoas próximas, para entender melhor o que enfrentará. O mesmo ocorre com o tratamento por infusão, cuja recomendação médica vem se tornando mais frequente a cada dia; pois, resultado de pesquisas científicas comprovam, cada vez mais, os benefícios da terapia biológica no controle dos sintomas, em doenças crônicas autoimunes.