No ritmo certo | Revista Fleury Ed. 22

Dieta equilibrada e exercícios físicos são fundamentais para manter o equilíbrio do organismo e regular o intestino

Dieta equilibrada e exercícios físicos são fundamentais para manter o equilíbrio do organismo e regular o intestino

A constipação intestinal, conhecida popularmente como intestino preso ou prisão de ventre, pode, realmente, significar uma clausura. Para muitas pessoas, sinais como inchaço e dores abdominais são tão frequentes que se tornam “normais”. No entanto, regular o ritmo do intestino é essencial para garantir o bom funcionamento de todo o organismo.

Acompanhe a seguir cinco perguntas que toda pessoa com essa condição deve fazer para manter o intestino no compasso certo.

Com que frequência vou ao banheiro?
Segundo a gastroenterologista Patrícia Marinho Costa de Oliveira, médica do Check-Up do Fleury Medicina e Saúde, a frequência é o sintoma que mais chama a atenção quando o assunto é a constipação intestinal. “Considerando apenas a regularidade, evacuar três vezes por semana seria considerada uma frequência mínima. Porém, é preciso levar em conta também a presença de dores e a consistência das fezes”, explica. Ou seja, para saber se o intestino funciona normalmente, deve-se analisar também se a evacuação requer muito esforço e se as fezes são duras ou muito pequenas. “Ao constatar esses critérios, é hora de procurar um gastroenterologista ou um clínico geral para avaliar o caso”, alerta a médica.
Minha alimentação é equilibrada?
Para garantir o bom funcionamento do intestino é imprescindível seguir uma dieta balanceada. Nesse sentido, as fibras são ótimas aliadas. A função do intestino grosso é eliminar todo o material que não foi incorporado pelo organismo, além de absorver água e sais minerais ainda presentes no material não digerido. “A ingestão das fibras faz com que as fezes fiquem mais volumosas, pastosas e úmidas, auxiliando no reflexo de evacuação.” Frutas, legumes e verduras, como mamão, tamarindo, laranja, ameixa, manga e folhas em geral, são opções ricas em fibras. Outras fontes são os cereais integrais, a exemplo do arroz e do pão integral, aveia, centeio, sementes de linhaça e trigo.
Mas, se o organismo sofrer com a desidratação, não basta apenas aumentar o consumo de fibras. “Se uma pessoa não ingere a quantidade adequada de água, diminui a presença de líquidos no intestino grosso. Isso faz com que as fezes se tornem compactas, dificultando a evacuação”, aponta Patrícia. Para modificar essa situação, o ideal é beber de um litro e meio a dois litros de água diariamente.

Estou praticando exercícios físicos regularmente?
Outro quesito fundamental para escapar do intestino preso são as atividades físicas. “Movimentar o corpo favorece o funcionamento do intestino grosso”, detalha a gastroenterologista do Fleury. “A pessoa não precisa ser atleta, pois qualquer tipo de exercício, como uma simples caminhada, traz grandes benefícios.”

""A pessoa não precisa ser atleta, pois qualquer tipo de exercício, como uma simples caminhada, traz grandes benefícios""

Tenho ouvido os sinais do meu corpo?Um hábito bastante comum é inibir o reflexo gastrocólico. Isso significa que muita gente não dá ouvidos àquela dorzinha na barriga que indica a necessidade de ir ao banheiro, que, em geral, ocorre após as refeições, quando a distensão do estômago favorece o trânsito intestinal. “Durante o período em que a vontade de evacuar é reprimida, o intestino continua absorvendo água e sais minerais. Quando o reflexo surge novamente, aquela inibição inicial dificulta a eliminação das fezes, que se tornam mais compactas e endurecidas, podendo até mesmo machucar a região anal e provocar sangramentos”, ressalta Patrícia. “Por isso, as pessoas precisam reservar alguns minutos do seu dia para ir ao banheiro com tranquilidade”, completa.

Tenho algum problema de saúde que provoque a constipação?
A gastroenterologista revela que o intestino preso pode ser causado por algumas doenças, como diabetes, hipotireoidismo, cânceres, doenças neurológicas e lesões medulares. Além disso, certos medicamentos podem prejudicar o funcionamento intestinal – caso de algumas medicações de uso psiquiátrico, como remédios para depressão. “Por essas razões, havendo mudanças no funcionamento do intestino, é fundamental consultar o médico”, finaliza.

Outras Notícias

Relatório Anual de Sustentabilidade 2019

Acesse o Relatório Anual de Sustentabilidade 2019 do Grupo Fleury, baseado nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) em sua versão Standard, opção Essencial, e em linha com as orientações do Relato Integrado (IR).

Semana Mundial de Conscientização Sobre Alergias

A Organização Mundial de Alergia (World Allergy Organization/WAO) realiza anualmente, juntamente com as diversas sociedades de alergia no mundo, uma semana para a conscientização sobre as doenças alérgicas e suas alterações. A partir de hoje e até o dia 4 de julho traremos informações sobre uma alergia diferente.

Checkpoints para o seu tratamento infusional: O passo a passo para alcançar mais qualidade de vida.

Qualidade de vida é uma das maiores aspirações do ser humano, expectativa que parece distante para quem sofre de doenças crônicas e incapacitantes. Mas, com o avanço das pesquisas e dos novos medicamentos da terapia infusional, é possível um cotidiano mais confortável e com maior autonomia. Para você iniciar seu tratamento com mais tranquilidade e saber quais resultados esperar, trouxemos algumas respostas para ajudá-lo.

Grupo Fleury participa do processo de testes para vacina contra a COVID-19

Grupo Fleury realizará testes para 2 mil candidatos selecionados pela Unifesp para estudo sobre a vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford. Em estudo conduzido pela Escola Paulista de Medicina, da Unifesp, Grupo fará exames do tipo sorológico durante triagem de participantes de experimento. Vacina está sendo testada em 50 mil pessoas em vários lugares do mundo. IMPORTANTE: Os 2000 candidatos para o estudo da vacina serão selecionados exclusivamente pela Unifesp. Nossa central de atendimento não recebe candidaturas.