RT-PCR e seus protocolos

O método RT-PCR tem sido utilizado em diversos países como uma das principais formas de diagnosticar a COVID-19. No dia 26 de fevereiro, o Brasil teve seu primeiro caso de COVID-19 confirmado por meio desta metodologia, que identifica o vírus no organismo através da análise de uma amostra de secreção respiratória e é o mais utilizado e recomendado para a detecção do vírus em pacientes sintomáticos.

Para diagnosticar a COVID-19 a partir do exame RT-PCR, já existem vários protocolos validados pela Organização Mundial da Saúde. Os protocolos estabelecem processos de realização do RT-PCR e utilizam, como alvos, diferentes genes para detecção do SARS-CoV-2. No Brasil, o protocolo Charité tornou-se bastante popular por ser o protocolo inicialmente sugerido pelo Ministério da Saúde e utiliza como alvo os genes N, E e RdRP.

Estudos apontam que os protocolos são equivalentes entre si, ou seja, não existe evidência de que um deles é mais específico ou sensível em relação a outro. No entanto, os laboratórios que realizam o exame são responsáveis por escolher e ajustar o protocolo de acordo com suas condições técnicas e de processo.

É justamente por conta desta definição e ajuste que o desempenho do teste varia de um laboratório para outro. No Fleury, temos atualmente validados os protocolos Charité (Alemanha) e o do CDC (Estados Unidos), além disso, também são aplicadas combinações desses protocolos para obtenção de maior acurácia e confirmação de resultados de forma cada vez mais assertiva.

RT-PCR
no Fleury
Sensibilidade
Especificidade

Sensibilidade analítica: limite de detecção de 100 cópias/mL.

A sensibilidade clínica é variável conforme o dia da coleta em relação ao início da infecção, tipo de amostra, manifestações clínicas do paciente e qualidade pré-técnica da amostra.

Raspado (swab) nasofaríngeo: pico de sensibilidade no 4º dia. 

 Escarro/Secreção traqueal: pico de sensibilidade no 11º dia

Sondas utilizadas são específicas para SARS-COV-2, não havendo detecção cruzada de outros coronavírus.

 Dados de validação interna Fleury: especificidade = 100%


Após a obtenção do pedido médico solicitando a realização do exame RT-PCR para COVID-19, é importante consultar o seu laboratório para avaliar se este utiliza um protocolo validado pela Organização Mundial da Saúde e quais são suas taxas de sensibilidade e especificidade.

Nos próximos dias traremos mais informações sobre sensibilidade e especificidade e porque isso é tão importante para obtenção de um diagnóstico conclusivo. Fique ligado!

Outras Notícias

Cuidado Integrado para Empresas

Empresa mais tradicional de diagnósticos do mercado brasileiro, Grupo Fleury cria serviço de consultoria que auxiliará companhias na retomada de atividades com soluções que envolvem etapa de testagem diagnóstica de colaboradores, consultoria médica para definição de protocolos de segurança de saúde e coordenação de cuidados com aplicação de telemedicina e prontuário eletrônico

Segunda Opinião Gratuita - Grupo Fleury

Conheça o projeto gratuito de cooperação para segunda opinião da equipe de médicos especialistas em laudos de tomografia e radiografias de tórax do Grupo Fleury.

Vacine-se contra a gripe no Fleury

O Fleury disponibiliza a vacina quadrivalente contra a gripe, uma vacina inativada que protege contra quatro diferentes vírus influenza.

Mitos e verdades no tratamento por infusão

Dúvidas nunca faltam quando você começa um novo tratamento. Como em todas as situações novas, por vezes você se sente inseguro e busca informações na internet ou troca ideias com pessoas próximas, para entender melhor o que enfrentará. O mesmo ocorre com o tratamento por infusão, cuja recomendação médica vem se tornando mais frequente a cada dia; pois, resultado de pesquisas científicas comprovam, cada vez mais, os benefícios da terapia biológica no controle dos sintomas, em doenças crônicas autoimunes.