Informe-se sobre COVID-19 clicando aqui

Vida saudável no campo | Revista Fleury Ed. 25

Crianças que moram em áreas urbanas têm mais riscos de desenvolver alergia alimentar do que aquelas que vivem em zonas rurais.

Crianças que moram em áreas urbanas têm mais riscos de desenvolver alergia alimentar do que aquelas que vivem em zonas rurais. É o que indica um estudo publicado no periódico Clinical Pediatrics, que analisou dados de 38.465 jovens com menos de 18 anos e mostrou que 9,8% das crianças que moram nas cidades têm alergia alimentar, frente a 6,2% das que vivem em áreas rurais. Alergias a amendoim são duas vezes mais comuns em centros urbanos e os pequenos que moram nas cidades também têm mais do que o dobro de ocorrência de alergia a crustáceos. Uma das hipóteses para explicar os resultados da pesquisa é que a exposição a certas bactérias associadas à vida no campo logo nos primeiros anos de vida protege as crianças contra a hipersensibilidade hereditária a alguns alérgenos. Outra tese indica que a alta concentração de poluentes nas áreas urbanas pode desencadear o desenvolvimento de alergias.