Viver é bem bom | Revista Fleury Ed. 32

Fazer algo que realmente amamos traz diferentes emoções e estados de espírito.

A Revista Fleury conversou com sete artistas e personalidades para saber o que, para eles, significa bem-bom – o tema desta edição. “Tem hora que você tem de olhar para o céu e incorporar o mundo”, simplifica Lina Chamie, cineasta, e uma das entrevistadas

“Descobrir o que é o ‘bem-bom’ é uma busca eterna. Para mim, é ter liberdade de fazer o que se gosta, trabalhar com isso.  A fotografia foi uma consequência das coisas que eu buscava, o encontro com a natureza e comigo mesmo. É lá que eu busco minha tranquilidade. Passar uma semana, dez dias na rotina, no cotidiano, me deixa louco. E a fotografia faz com que eu possa ir para onde estou em paz. Viajar para fotografar me permite uma entrega até maior do que uma viagem de lazer.”
André Dib, fotógrafo e explorador

“Bem bom pra mim é poder trabalhar e ganhar a vida com o que gosto de fazer e acredito. É chegar em casa, ficar com a família e os cachorros. É conseguir fazer minha atividade física diária, jogar meu tênis. Ir ao cinema. Ver o jogo do Corinthians, principalmente os que têm vitória no final. É ter amigos e poder compartilhar momentos especiais com eles. Estar sempre ao redor ou rodeado pela minha família.”
Marcio Atalla, professor de Educação Física

“São várias coisas bem boas e maravilhosas. Ir ao cinema é uma delas. Entre ver o pôr do sol e ir ao cinema, prefiro ir ao cinema. Adoro. Treinar esgrima é outra coisa bem boa na vida da gente, eu treino há muitos anos. É algo que nos transforma. Fazer cinema, filmar é um momento mágico também. Olhar para o azul do céu também é algo bem bom para mim. Tem hora que você tem de olhar para o céu e incorporar o mundo.”
Lina Chamie, cineasta dos filmes Tônica dominante, A Via Láctea e Os amigos

“O que é bem bom para mim é jogar tênis, meu esporte. É onde eu sou feliz, faz com que eu não pense em nada, quando eu jogo bem me deixa muito seguro, confiante. Tem efeitos emocionais, mentais e espirituais, porque você está batendo numa bola em movimento, num tipo preciso de rotação e de velocidade, que você tem que interceptar de forma precisa, e que ela vá no lugar exato. Isso dá uma sensação muito gratificante e produz hormônios de alta qualidade. É você com você, vencendo você. É bem bom jogar com alguém no seu nível, para exigir mais de você, para fazer você dar o seu melhor, e te dar mais realização, pensamentos bons, felicidade, alegria, bem-estar. É estar no paraíso por alguns momentos. O tênis é interessante porque, depois de uma jogada ruim, tem outra. Não dá tempo de pensar no que já foi, você se desafia com a próxima.”
Nuno Cobra, preparador de pessoas

“Bem bom é uma mesa redonda cheia de amigos próximos, em que você pode falar qualquer coisa e dar risada junto. Isso para mim é um luxo. Amizade é uma coisa preciosa, amizade mesmo, daquela que a gente conta nos dedos. É difícil conseguir usufruir isso hoje em dia, a gente fica preso na rotina, nas obrigações. Colocamos esse tipo de encontro no penúltimo ponto da lista de prioridades e precisamos fazer um esforço, deixar de fazer algo urgente, para poder encontrar os amigos. Classificamos muita coisa como urgente; urgente é viver bem.”
Blubell, cantora e compositora

“Bem bom é conseguir estar com as pessoas que eu gosto, no final de semana, ter um lazer saudável, cozinhando, conversando. É estar em relações e ações que tragam bem-estar. É o fim de semana quando há uma quebra do cotidiano, sem que fique aquele lazer pernicioso, sem estímulo, sem troca. É uma das coisas que me encanta, que me faz bem para me manter saudável. Fazer grandes caminhadas, conhecer uma cidade que eu não conheço. A disciplina do dia a dia e do trabalho te faz ter rotina, horário, organização. Mas no lazer do final de semana, é a liberdade que faz bem para a alma. Principalmente, no caminhar.”
Ivaldo Bertazzo, educador corporal e professor de movimento

“Bem bom para mim é um projeto difícil de realizar. Um desafio. Eu escrevo ficção, me ocupo dos meus projetos de filosofia. Invento algo bem difícil de fazer. Constantemente é o caso de um livro. Amigos e família são sorte. Daí que o meu bem-bom dependa do que eu seja capaz de fazer. Sempre foi assim. Eu nunca gostei de vida fácil.”
Marcia Tiburi, filósofa e escritora.

Outras Notícias

Cuidado Integrado para Empresas

Empresa mais tradicional de diagnósticos do mercado brasileiro, Grupo Fleury cria serviço de consultoria que auxiliará companhias na retomada de atividades com soluções que envolvem etapa de testagem diagnóstica de colaboradores, consultoria médica para definição de protocolos de segurança de saúde e coordenação de cuidados com aplicação de telemedicina e prontuário eletrônico

Segunda Opinião Gratuita - Grupo Fleury

Conheça o projeto gratuito de cooperação para segunda opinião da equipe de médicos especialistas em laudos de tomografia e radiografias de tórax do Grupo Fleury.

Vacine-se contra a gripe no Fleury

O Fleury disponibiliza a vacina quadrivalente contra a gripe, uma vacina inativada que protege contra quatro diferentes vírus influenza.

Mitos e verdades no tratamento por infusão

Dúvidas nunca faltam quando você começa um novo tratamento. Como em todas as situações novas, por vezes você se sente inseguro e busca informações na internet ou troca ideias com pessoas próximas, para entender melhor o que enfrentará. O mesmo ocorre com o tratamento por infusão, cuja recomendação médica vem se tornando mais frequente a cada dia; pois, resultado de pesquisas científicas comprovam, cada vez mais, os benefícios da terapia biológica no controle dos sintomas, em doenças crônicas autoimunes.