Ácido Láctico, sangue arterial

Outros nomes:
ÁCIDO LÁCTICO NO SANGUE ARTERIAL
ÁCIDO LÁTICO NO SANGUE ARTERIAL
LACTATO NO SANGUE ARTERIAL

Agendamento

Este exame nao necessita ser agendado.

Prazo de Entrega

Em até 1 dia útil (incluindo sábados) às 18h

Orientações necessárias

- Este exame não necessita de preparo. - Exame colhido nas Unidades Paraíso e Ibirapuera.

Processamento e adequação da amostra

- Centrifugar, NO MÁXIMO EM ATÉ 30 MINUTOS APÓS A COLETA, a 2200 g por 15 minutos a 4°C - Se não for possível centrifugar em até 30 minutos, o material deve ser "conservado em ambiente refrigerado" pois o contato do tubo com o gelo reciclável provoca a hemólise. Aliquotar no mínimo 0,5 mL de plasma em tubo plástico estéril seco com capacidade para 4 mL - Enviar ao HOSA, refrigerado de 2-8 °C em até 24 horas, se ultrapassar este período, aliquotar, congelar o material e enviar em gelo seco. - Só serão aceitas amostras LIGEIRAMENTE hemolisadas, pois, hemólises moderadas ou fortes podem elevar o resultado falsamente. Estabilidade da amostra: Refrigerada (2 - 8 °C): 24 horas Congelada (-20 °C): 30 dias

Método

- Enzimático, colorimétrico.

Valor de referência

- Sangue arterial: 4,5 a 14,4 mg/dL (0,5 a 1,6 mmol/L) Fonte: Tietz N, Clinical Guide to Laboratory Tests, Saunders, 1983.

Interpretação e comentários

- O lactato arterial é útil para o diagnóstico de acidose láctica porque retrata melhor a qualidade da respiração celular do que o lactato venoso, que pode se elevar na dependência das condições de coleta (garroteamento prolongado, contração muscular excessiva e choro mantido). - A acidose láctica pode ocorrer em situações como: -- falência circulatória; -- glicogenoses; -- defeitos da função da mitocôndria; -- defeitos da transformação do piruvato em acetil-CoA. - O ácido láctico, ou lactato, é um ácido orgânico que possui três átomos de carbono e que se forma principalmente após a quebra de glicose, em condições anaeróbicas. Esse ácido possui dois isômeros: o L-lactato, de produção endógena, e o D-lactato, originário de bactérias intestinais. Somente o L-lactato é dosado neste exame. A enzima lactato desidrogenase responde pela reação, plenamente reversível, de conversão do lactato em piruvato. Em condições fisiológicas, a razão entre o lactato e o piruvato é da ordem de até 17 para 1. Para ser metabolizado, o lactato tem de ser transformado em piruvato, obrigatoriamente. Dessa forma, em algumas situações, a dosagem simultânea de ambas as substâncias no sangue se mostra útil. - Medido antes e depois do exercício, o ácido láctico permite avaliar a capacidade respiratória muscular. Em situações de acidose de causa indeterminada, nas quais os níveis de ácido láctico (L-lactato) sejam normais e exista alguma doença que favoreça a proliferação bacteriana intestinal, recomenda-se a dosagem de ácido D-láctico no plasma.

Dias de Medicamento

0

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (11) 3179-0822

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 6x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: (11) 3179-0822