Broncoscopia, com biopsia transbronquica

Outros nomes:
BRONCOSCOPIA COM BIOPSIA TRANSBRONQUICA

Jejum

Para todas as idades jejum mínimo necessário de 8 horas

Agendamento

Este exame nao necessita ser agendado.

Prazo de Entrega

Em até 1 dia útil (sem contar o sábado) às 18h

Orientações necessárias

I - Critérios de realização - Esse exame é realizado juntamente com o exame de broncoscopia, somente com pedido médico e a idade mínima para realizar o procedimento é 16 anos. - A idade máxima é de 75 anos. - O exame não poderá ser realizado em pacientes acamados, cadeirantes, hospitalizados ou gestantes. - Caso o cliente tenha alergia a Latex, o exame não poderá ser realizado no Fleury. - Medicamentos anticoagulantes, como varfarina (Marevan® e Coumadin®), e antiagregantes plaquetários, como ácido acetilsalicílico (Aspirina®, AAS®, Melhoral®, Bufferin®, etc.), clopidogrel (Plavix®), ticlopidina (Ticlid®) e ticagrelor (Brilinta®), devem ser suspensos sete dias antes do exame. Pradaxa® e Xarelto devem ser suspensos 48 horas antes. Clexane deve ser suspenso 24 horas antes do exame. A suspensão dos medicamentos deve ser feita sob supervisão do médico solicitante. - Se fizer uso rotineiro de anti-hipertensivos orais, o medicamento deverá ser ingerido no dia do exame, logo ao acordar , com meio copo de água (única exceção ao jejum absoluto). - É necessário trazer raios X de tórax e/ou tomografia de tórax no dia do exame. - Caso tenha realizado hemograma, coagulograma, dosagens de uréia e creatinina, trazer também no dia do exame. - A broncoscopia é contra-indicada nos casos de insuficiência respiratória grave, arritmias cardíacas graves, insuficiência coronariana descompensada e crise grave de asma. - Já a biópsia transbrônquica é contra-indicada em casos de plaquetopenia, distúrbios de coagulação, uremia, hipertensão pulmonar grave e pulmão único. - O exame somente poderá ser realizado mediante presença de um acompanhante adulto desde o momento da chegada do cliente ao Fleury até o término do exame. Esta é uma condição indispensável. No caso de clientes com menos de 18 anos, o acompanhante obrigatoriamente deverá ser um responsável legal. - Trazer exames anteriores de Tomografia e/ou radiografia de tórax no dia do exame. - Clientes com índice de massa corporal (IMC)* entre 37 e 40 devem agendar o exame na Unidade Higienópolis, igualmente com anestesia. - O procedimento não é feito em clientes com IMC acima de 40. - Para obter o valor do IMC, basta dividir o peso (kg) pelo quadrado da altura (m). - Mulheres que estejam amamentando podem realizar o exame, porém, após o procedimento, precisam ficar durante seis horas sem amamentar. II - Preparo - É necessário jejum absoluto (inclusive de água) de oito horas. - Como a broncoscopia é realizada sob anestesia local e sedação leve, recomenda-se estar acompanhado, pois não é possível dirigir após o procedimento. - Trazer exames anteriores de Tomografia e/ou radiografia de tórax no dia do exame. - Usuários de marca-passo devem reprogramar o dispositivo com seu cardiologista antes do exame. - Para usuários portadores de CDI (cardiodesfibrilador implantável) o procedimento deve ser realizado em ambiente hospitalar. III - Duração do exame - O procedimento dura cerca de 40 minutos e exige mais 30 minutos de repouso. IV- Observações - Para este exame, além do procedimento de biópsia, será realizada e cobrada também a análise do material biopsiado (exame anatomopatológico). - Se houver a necessidade da realização de biópsias de mais de uma lesão, haverá a inclusão e cobrança dos exames anatomopatológicos de cada lesão diferente que for biopsiada. Muitas vezes só é possível saber isso durante a realização do procedimento. - Em caso de Plano de Saúde, deverá haver solicitação médica para o exame anatomopatológico. Caso sejam realizadas biópsias de mais de uma lesão, a solicitação médica deverá estar no plural (exames anatomopatológicos). V - Cuidados após a broncoscopia - Não dirigir automóvel ou outros veículos durante todo o dia, após o exame. - Não deverá utilizar transporte aéreo (avião) pelo período de 48 horas após a realização do procedimento (risco de pneumotórax). - Durante um período de aproximadamente oito horas, não realizar tarefas que necessitem de atenção, como mexer com máquinas e objetos cortantes. - Uma hora após o término do exame, pode-se alimentar normalmente. Não existem restrições quanto ao tipo de alimentação, apenas devem ser evitados alimentos muito quentes. - Evitar o consumo de bebidas que contenham álcool nas 24 horas que se seguem ao exame. - Entre 3 e 12 horas depois da broncoscopia, a manipulação do aparelho respiratório pode causar febre, às vezes alta, que, contudo, desaparece espontaneamente, não sendo um sinal de infecção. Nestes casos, pode-se fazer uso de antitérmicos, devendo, porém, entrar em contato com o médico solicitante, para que este indique o medicamento e a dosagem. - Após a biópsia, pode ocorrer sangramento em pequena quantidade, presente na expectoração (escarro). Esse quadro também é autolimitado e não deve durar mais de 24 horas. - Quando se realiza biópsia transbrônquica, pode ocorrer pneumotórax em 3% dos casos. Os sintomas dessa condição incluem dor torácica localizada e progressiva, geralmente piorando à inspiração profunda e podendo ser acompanhada de falta de ar. Na presença desses sintomas, o Fleury deve ser contatado imediatamente, pela Central de Atendimento ao Cliente, para que o médico responsável pelo procedimento possa avaliar o caso.

Método

- Exame realizado com videobroncoscópio flexível com calibre fino (5,2 mm). Documentado em fotos. A biópsia transbrônquica é realizada com pinça flexível, através do canal de trabalho do aparelho.

Valor de referência

- Não se aplica.

Interpretação e comentários

- Os métodos broncoscópicos têm progressivamente avançado na sua capacidade diagnóstica, com a melhora tanto da metodologia endoscópica quanto dos recursos de análise do material coletado (exames laboratorial, citológico e anatomopatólogico). Hoje é possível afirmar que a investigação broncoscópica está indicada para o esclarecimento das pneumopatias sempre que os métodos menos invasivos, como o clínico, o laboratorial e o radiológico, forem insuficientes e antes de abordagens mais agressivas, a exemplo de biópsia cirúrgica a céu aberto e de punções transtorácicas. - A broncoscopia permite a avaliação anatômica, morfológica e dinâmica das estruturas da laringe, da traquéia e dos brônquios - até dos brônquios subsegmentares. Com isso, podem ser identificadas alterações e lesões. - O método broncoscópico possibilita também a coleta de lavados e escovados, punções e biópsias da laringe, da traquéia, dos brônquios e dos pulmões. Os materiais coletados podem ser utilizados para estudos microbiológicos (bactérias, fungos, bacilo da tuberculose e vírus), citológicos e anatomopatológicos. Dessa forma, é possível avaliar processos infecciosos, inflamatórios e neoplásicos. - Nos grandes grupos das doenças pulmonares em que a broncoscopia tem atuação fundamental, é possível destacar várias indicações para a realização do exame. As principais são: - avaliação de alterações anatômicas de laringe e, principalmente, traquéia e brônquios; - pesquisa de alterações radiológicas de pulmão; - pesquisa de quadros de dispnéia de origem obstrutiva; - pesquisa de sangramento de vias aéreas; - pesquisa de quadros de tosse; - pesquisa de processos infecciosos de pulmão, com coleta de material para estudar a presença de bactérias, fungos, tuberculose, etc.; - pesquisa de alterações de parênquima pulmonar, visualizadas por método de imagem; - pesquisa de câncer de pulmão. - A biópsia pulmonar transbrônquica (BTB) é realizada com a introdução da pinça flexível pelo brônquio subsegmentar relacionado com a área pulmonar a ser abordada, até que o instrumento atinja o parênquima, de forma que o médico examinador possa proceder, então, à retirada dos fragmentos. Considera-se a biópsia válida quando ela representa mais de 15 espaços alveolares. Nos casos de processo difuso, o procedimento é feito preferencialmente em lobo inferior. - As principais complicações da BTB são o sangramento - considerado quando for maior que 50 mL - e o pneumotórax, que ocorre em cerca de 5% dos casos, dos quais metade necessita de drenagem. As principais contra-indicações estão relacionadas com as complicações do procedimento: distúrbios de coagulação (tempo de protrombina menor que 60%), plaquetopenia (menos de 50.000/mm3), uremia, pulmão único, ventilação mecânica (relativa) e hipertensão pulmonar. - O melhor rendimento da biópsia transbrônquica está nas moléstias granulomatosas, nas doenças intersticiais pulmonares, nas neoplasias periféricas e na linfangite carcinomatosa, entre outras condições.

Principais indicações

- Nos grandes grupos das patologias pulmonares em que a broncoscopia tem atuação fundamental, podemos destacar vários, sendo as principais indicações para broncoscopia: - Avaliação de alterações anatômicas de laringe e principalmente traquéia e brônquios. - Pesquisa de alterações radiológicas de pulmão. - Pesquisa de quadros de dispnéia (falta de ar) de origem obstrutiva. - Pesquisa de sangramento de vias aéreas. - Pesquisa de quadros de tosse. - Pesquisa de processos infecciosos de pulmão com coleta de material (bactérias, fungos, tuberculose etc.). - Pesquisa de alterações de parênquima pulmonar, visualizados por método de imagem. - Pesquisa de câncer de pulmão.

Regiões estudadas

- Este exame avalia a orofaringe (parte inferior da garganta), laringe, traquéia, brônquios proximais e distais.

Dias de Medicamento

0

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou ligue para nossa Central de Atendimento pelo telefone: (11) 3179-0822

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 6x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame: (11) 3179-0822