Cultura, secreção prostática

Outros nomes:

CULTURA SECRECAO PROSTATICA

PROSTATA, CULTURA SECRECAO

SECRECAO PROSTATICA, BACTERIOLOGICO

Cultura de secreção prostática

Cultura para aeróbios em secreção prostática

Orientações necessárias

- Materiais não colhidos nas unidades devem ser entregues até uma hora após a coleta, em frasco estéril. - As coletas de material genital masculino são realizadas de segunda a sábado das 7 às 12 horas (verificar quais unidades realizam o exame). No período da tarde, de segunda a sexta, somente na Unidade Paraíso (até às 18:30 horas). - ATENÇÃO, as unidades São Bernardo do Campo, Granja Viana, Chácara Klabin e Oscar Americano NÃO realizam coleta masculina. - No período da tarde, o exame é colhido de segunda a sexta-feira na Unidade República do Líbano I (até as 18 horas)

Processamento e adequação da amostra

- Semear o material, com alça calibrada, de forma quantitativa em: - Ágar sangue - Thayer Martin, - Ágar chocolate Haemophilus - Fazer esfregaço em 1 lâmina -- As placas devem ser semeadas conforme descrito abaixo: 1.Descarregar o conteúdo da alça no centro da placa, traçando uma linha de uma borda à outra 2.Fazer estrias sobre toda a superfície do meio de cultura 3.Girar a placa 90º e fazer novas estrias sobre toda a superfície da placa 4.Aproveitar toda a superfície na semeadura, não deixando espaços entre as estrias - Colocar as placas, de Thayer Martin e ágar chocolate Haemophilus, em jarra apropriada com um comprimido de Sonrisal previamente umedecido, - Acondicionar as lâminas em caixa apropriada - Enviar os meios, as lâminas, e o material puro, se houver, para a Seção de Microbiologia em temperatura ambiente. - Em algumas situações o material poderá já vir semeado do setor de Enfermagem, nos diversos meios de cultura; neste caso deve ser semeado, conferido e enviado o material para a Seção de Microbiologia. Estabilidade da amostra Temperatura ambiente: 1 hora; Refrigerado(2-8 ºC): NÃO ACEITÁVEL; Congelado: NÃO ACEITÁVEL.

Método

- Cultura quantitativa em meios adequados para isolamento de diversos microrganismos, de acordo com as normas da Sociedade Americana de Microbiologia.

Valor de referência

- Cultura negativa.

Interpretação e comentários

- Esse exame contribui para o diagnóstico de prostatites, incluindo rotineiramente a pesquisa de diversos agentes em meios especiais de cultura, até mesmo de N.gonorrhoeae. O método, porém, não pesquisa outros agentes causadores de prostatites, como Mycoplasma hominis, Ureaplasma urealyticum/parvum e Chlamydia trachomatis, os quais necessitam de pedidos específicos. Por outro lado, a análise abrange também o exame microscópico direto do material. - As prostatites podem ser classificadas em bacterianas agudas, bacterianas crônicas e não-bacterianas. A bacteriana aguda é pouco comum em comparação com a crônica. Os microrganismos mais freqüentemente envolvidos em ambas as formas são os bacilos gram-negativos, sendo mais frequente a Escherichia coli. Um dos maiores problemas na interpretação dos resultados é a eventual presença conjunta de microrganismos que podem fazer parte da microbiota normal da uretra. - Para melhor diagnosticar uma prostatite bacteriana, recomendam-se culturas quantitativas seqüenciais. Uma das técnicas utilizadas é a descrita por Stamey e Meares, considerada padrão-ouro. Nessa investigação, três amostras de urina e uma de secreção prostática pós-massagem são colhidas na seguinte ordem: urina de primeiro jato, urina de jato médio, secreção prostática e urina pós-massagem prostática. A prostatite bacteriana é confirmada pela presença de bactérias na secreção prostática e na amostra de urina pós-massagem. Caso haja bactérias nas amostras de urina de primeiro jato e jato médio, é necessário que, na secreção prostática e na urina pós-massagem, a quantidade de bactérias seja superior para a confirmação da prostatite bacteriana. - O critério universalmente aceito para o diagnóstico de prostatite crônica é um aumento de pelo menos dez vezes no número de microrganismos em relação à contagem observada na cultura do primeiro jato de urina.

Hospitais

- Enviar o material a temperatura ambiente em saco plástico apropriado Plantão Noturno: - Semear o material de forma quantitativa em: - Ágar sangue, Thayer Martin e ágar chocolate Haemophilus -- As placas devem ser semeadas conforme descrito abaixo: 1.Descarregar o conteúdo da alça no centro da placa, traçando uma linha de uma borda à outra 2.Fazer estrias sobre toda a superfície do meio de cultura 3.Girar a placa 90o e fazer novas estrias sobre toda a superfície da placa 4.Aproveitar toda a superfície na semeadura, não deixando espaços entre as estrias - Colocar as placas em jarra com gerador de CO2 - Incubar a jarra em estufa a 37 ºC - Enviar a jarra com as placas para a MIC.

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou entre em contato com a nossa Central de Atendimento pelo Whatsapp (11) 3179-0822.

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 10x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame pelo Whatsapp (11) 3179-0822.