Manual de exames

HGH, após estímulo de Insulina, soro e plasma

Outros nomes: CRESCIMENTO, DEFICIT DE, GH POS INSULINA, CRESCIMENTO, HORM, DOSAGEM POS ESTIM C/INSULINA, CRESCIMENTO, HORMONIO, POS ESTIMULO C/INSULINA, ESTIMULO C/INSULINA P/HORMONIO DE CRESCIMENTO, GH COM ITT, GH após estímulo com insulina, GH, DEFICIT DE, DOS GH POS INSULINA, HIPOGLICEMIA PARA GH, TESTE COM, INSULINA, DOSAGEM DE GH POS ESTIMULO COM, HGH, após estímulo de Insulina, Teste de tolerância à insulina para dosar GH, HGH após hipoglicemia , Teste tolerância à insulina - coleta GH

Este exame precisa ser agendado

Orientações necessárias

I Informações sobre o exame
O exame compreende dosagens seriadas de hormônio de crescimento (basal e após estímulo com insulina).
A duração padrão do teste é de 2 horas ou conforme solicitação médica.

II Critérios de realização
Se o paciente estiver em uso da medicação GH recombinante (Genotropin®, Criscy, Biomatrop, Eutropin, Genotropin, Hormotrop, Norditropin Nordiflex, Norditropin Nordilet, Omnitrope, Saizen). É necessário suspensão dessa medicação por 72 horas, com a autorização do médico responsável para que o exame seja realizado.
Este exame não é realizado em menores de 3 anos e o peso mínimo para realização do exame é de 10kg
A idade máxima para a realização do exame é de 60 anos.
Este exame é realizado somente com solicitação médica.
É necessário estar acompanhado para a realização deste exame e clientes menores de 18 anos deverão vir acompanhados de um responsável legal.
Menores de 14 anos devem realizar o exame preferencialmente até as 8 horas da manhã, para que não fiquem muito tempo em jejum.
Aconselha-se trazer uma troca de roupa para o caso de apresentar sudorese.
É necessário informar os nomes dos medicamentos utilizados nos últimos 30 dias.

III Contraindicações

Processos Infecciosos, sejam virais, Bacterianos e Fúngicos.
Epilepsia e qualquer histórico de crise convulsiva.
Cardiopatia isquêmica
Antecedentes de acidente vascular cerebral
Faixa etária acima dos 60 anos

Processamento e adequação da amostra

- Aguardar 30 minutos (É muito importante a retração do coágulo, porque é comum a formação de fibrinas);
- Centrifugar os tubos de soro e fluoreto a 2200 g por 10 minutos a 18 ºC;
- Não aliquotar;
- Enviar os tubos de soro à seção em temperatura ambiente;
- Enviar os tubos de fluoreto à seção em temperatura ambiente;
- Volume de plasma: 1,0 mL para cada amostra;
- Volume de soro: 0,8 mL para cada amostra.

Estabilidade da amostra:
Temperatura ambiente: 24 horas;
Refrigerada (2-8 ºC): 3 dias;
Congelada (-20 ºC): 6 meses.

Método

- Ensaio imunométrico quimioluminescente.

Valor de referência

- Valor normal do GH pós-insulina:

- Em adultos: acima de 5,1 microg/L.
- Em crianças: acima de 3,3 microg/L.

- Para que o teste seja considerado válido e possa ser interpretado, é necessária a
documentação de glicemia inferior a 40 mg/dL, queda da glicemia superior a 50%
do valor basal ou a presença de sintomas.

Interpretação e comentários

- A hipoglicemia induzida pela insulina representa um estímulo potente para a liberação de GH, razão pela qual este teste é considerado de grande importância na avaliação de déficit de GH, tanto em crianças como em adultos. Isso porque a diferença entre a resposta normal e a deficiência grave de GH é grande. Em indivíduos normais, a hipoglicemia moderada já é suficiente para provocar a elevação do hormônio.
- O exame tem, como vantagem, o fato de permitir a avaliação concomitante do eixo adrenocorticotrófico por meio das dosagens de cortisol nas amostras, sendo útil na avaliação de deficiência combinada de hormônios hipofisários. Por outro lado, sua desvantagem principal é a natureza desagradável dos sintomas da hipoglicemia.

Convênio e cobertura

Consulte nossa página de Convênios para mais informações

Particular e valores

Não tem convênio? Fale com a gente e consulte as condições especiais de pagamento particular.

Faça em casa

Agora, você pode fazer exames de sangue, urina e fezes em casa, no trabalho ou onde preferir. Consulte as regiões de cobertura