Imunofenotipagem, plaquetária, sangue total

Outros nomes:

Imunofenotipagem Plaquetária

Citometria de Plaquetas

Síndrome de Bernard-Soulier

Trombastenia de Glanzmann

Estudo de plaquetas por citometria de fluxo

CD41

CD42b

GPIIb-IIIA

GPIb

Orientações necessárias

Este exame não é realizado aos sábados, domingos, véspera de feriados e feriados. O exame deve ser realizado até as 11 horas.

Processamento e adequação da amostra

Conferir a identificação e qualidade do material Enviar à seção mais rápido possível, em temperatura AMBIENTE, acondicionada na caixinha de papelão em caixa de transporte T.A Distribuição unidades Hospitalares: Conferir a identificação e qualidade do material Conferir se todos os documentos necessários para a realização do exame foram entregues juntamente com a amostra (Questionário ou receita médica com histórico e hipótese diagnóstico do cliente) Priorizar o gerenciamento da amostra Acondicionar em caixa plástica/papelão com a sinalização de amostra urgente, juntamente com o protocolo de envio de amostras urgentes. O material deve ser encaminhado para o setor o mais rápido possível. O exame deve ser realizado no mesmo dia da coleta. Enviar à seção em temperatura AMBIENTE, acondicionada na caixinha de papelão em caixa de transporte T.A Solicitar transporte urgente para o envio da amostra à seção caso os horários de malote pré- estabelecidos não possam atender a urgência necessária para o rápido recebimento da amostra pelo setor técnico. ATENÇÃO: enviar ou scanear o questionário ou receita médica com histórico e hipótese diagnóstica do cliente. Estabilidade da amostra: Temperatura AMBIENTE, acondicionada na caixinha de papelão em caixa de transporte T.A. 6 horas. Temperatura refrigerada: não aceitável. Congelada: não aceitável.

Método

Análise por citometria de fluxo.

Interpretação e comentários

A citometria de fluxo de plaquetas é uma ferramenta emergente, adequada para o estudo da expressão de receptores de superfície plaquetária de forma qualitativa e quantitativa. As plaquetas são marcadas com anticorpos monoclonais fluorescentes e a suspensão de células passa através do citômetro de fluxo equipado com raio laser que ativa o fluoróforo. A fluorescência é medida e a intensidade da luz emitida é diretamente proporcional ao número de anticorpos ligado aos receptores / antígenos plaquetários. Sua técnica é relativamente simples, confiável e econômica, com ampla aplicação no diagnóstico de vários distúrbios plaquetários herdados e adquiridos; como doença de Bernard Soulier, doença de von Willebrand, doença de Glanzman e entre outras. Entre as vantagens da citometria de fluxo para o estudo das plaquetas estão: a análise das células em seu estado fisiológico, ativação insignificante de plaquetas in vitro devido à manipulação mínima da amostra, necessidade de quantidade muito pequena de sangue, detecção da expressão de epítopos de superfície das plaquetas e análise precisa das plaquetas dos pacientes com trombocitopenia grave

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou entre em contato com a nossa Central de Atendimento pelo Whatsapp (11) 3179-0822.

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 10x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame pelo Whatsapp (11) 3179-0822.