munoglobulina Endobulin Kiovig, Apenas aplicação,, endovenoso

Orientações necessárias

I - Informações sobre a administração do medicamento O medicamento imunoglobulina deve ser administrado por via intravenosa (IV, na veia) em adultos e em crianças a partir dos 12 anos de idade. II - Critérios de realização - A administração dessa medicação pode ser realizada somente com prescrição médica. - Não é necessário jejum, porém orienta-se não ingerir grandes refeições antes da infusão da medicação. A administração de imunoglobulina é realizada somente após entrevista médica. - Manter a medicação conforme condições de armazenamento exigidas pelo fabricante. -No dia anterior ao agendamento um médico do Fleury entrará em contato via telefone com o paciente para fazer uma entrevista prévia com o intuito de avaliar as condições clínicas do paciente. Esta etapa é fundamental para a confirmação da aplicação do dia seguinte. - Para evitar a ocorrência de eventos adversos com o uso da imunoglobulina, é importante ter os seguintes cuidados: estar bem hidratado e não apresentar sinais e sintomas de infecção, como por exemplo febre. Evite o uso de medicamentos que agridem o rim, como anti-inflamatórios, concomitantes ao uso de imunoglobulina. - Evite trocar a marca de imunoglobulina, salvo quando houver indicação médica. - Comunique a equipe médica se você tem problemas no coração ou histórico de tromboses.

Interpretação e comentários

I - Informações sobre o imunoglobulina - O produto Endobulin Kiovig® é composto por imunoglobulina humana, predominantemente da classe IgG (pelo menos 98% de sua composição), na seguinte ordem de distribuição: IgG1 ? 56,9%, IgG2 ? 26,6%, IgG3 ? 3,4%, IgG4 ? 1,7%. A quantidade máxima de IgA é de 0,14mg/mL no produto Endobulin Kiovig®. Imunoglobulinas são anticorpos presentes no soro humano que atuam combatendo e prevenindo infecções. Além disso, imunoglobulinas têm efeito imunomodulador em doenças inflamatórias e autoimunes sistêmicas por diversos mecanismos: inibição da proliferação e ativação de linfócitos B, através de bloqueio de receptores de superfície de linfócitos B; inativação de linfócitos T autorreativos, pela inibição da interação, de forma competitiva, com células apresentadoras de antígenos; inibindo a migração de linfócitos T para sítios inflamatórios; promovendo o reequilíbrio do balanço de citocinas proinflamatórias e anti-inflamatórias; bloqueando receptores Fc na superfície de monócitos e de macrófagos, inibindo a ativação dessas células da imunidade inata; inibindo a ativação da cascata do complemento e provendo anticorpos anti-idiotípicos. II - Indicações do imunoglobulina Terapia de reposição A imunoglobulina intravenosa é indicada para as seguintes síndromes de imunodeficiência primária: agamaglobulinemia e hipogamaglobulinemia congênitas, imunodeficiência comum variável, imunodeficiência combinada grave e síndrome de Wiskott-Aldrich. A imunoglobulina intravenosa também é indicada como terapia de reposição para imunodeficiências secundárias pós imunossupressão, especialmente com rituximabe, quando níveis séricos de IgG são inferiores a 0,5g/L, na presença de infecções. Terapia imunomoduladora A imunoglobulina intravenosa também é indicada para o tratamento de púrpura trombocitopênica idiopática, síndrome de Guillain-Barré, doença de Kawasaki, miopatias inflamatórias idiopáticas, principalmente na dermatomiosite refratária e na polineuropatia desmielinizante inflamatória crônica. Em situações especiais no lúpus eritematoso sistêmico, na esclerose sistêmica e em vasculites sistêmicas, principalmente em pacientes com quadros infecciosos graves, associados à atividade de doença. OUTRAS INDICAÇÕES OFF-LABEL NÃO CONTRA-INDICAM O PROCEDIMENTO.

Doses e intervalos

(a princípio, será seguida a prescrição médica; caso haja alguma discrepância evidente em relação às doses abaixo preconizadas, o médico do atendimento deve ser alertado): - A posologia do imunoglobulina varia de acordo com a indicação clínica para seu uso e com o peso do paciente. Em imunodeficiência primária ou secundária, a dose inicial padrão da imunoglobulina intravenosa é de 400 a 600mg/kg/dose, a cada 21-28 dias. Mas a dose e o intervalo podem ser ajustados de acordo com a concentração sérica de IgG e a resposta clínica do paciente, podendo chegar a 800mg/kg/dose ou até a 1.200mg/kg/dose. Em doenças autoimunes e inflamatórias sistêmicas a posologia da imunoglobulina humana intravenosa é de 400mg/kg/dia durante 5 dias seguidos ou de 1g/kg/dia em dois dias seguidos. Apenas na doença de Kawasaki, a dose de imunoglobulina humana intravenosa é de 2g/kg tomados em apenas uma infusão.

Efeitos adversos

- Relacionados à velocidade de infusão da imunoglobulina: calafrios, cefaleia, dispneia, dor torácica, dor nas costas, fadiga, febre, hipotensão ou hipertensão, mialgias, náuseas, vômitos, prurido, urticária, sintomas gripais e taquicardia. - Eventos adversos raros: cefaleia grave, meningite asséptica, azotemia, síndrome de leucoencefalopatia posterior reversível (PRES) e fenômenos tromboembólicos (infarto agudo do miocárdio, infarto cerebral e tromboembolismo pulmonar).

Farmácia

Reconstituição: Diluente: Não se aplica. Solução pronta a 10% Estabilidade após aberto: uso imediato Volume por ampola: 10 ml, 25 ml, 50 ml, 100 ml, 200 ml Concentração no frasco: 1 g; 2,5 g; 5 g; 10 g; 20 g. Diluição: Aplicável apenas quando houver a necessidade de reduzir para 5% a apresentação do medicamento. Diluente: soro glicosado 5%. Volume final: variável com a dose Estabilidade após diluição: Uso imediato PVC compatível, soro glicosado: compatível Tipo de Solução: ( ) irritante ( ) vesicante (x) não aplica Fotossensibilidade: Sim, mas não é citado o uso de capa foto pela bula. Via de Administração: EV Potencial emético: baixo Preparo: Toda a preparação da imunoglobulina G IV deve ser realizada em condições assépticas e em capela de fluxo laminar. Materiais Luvas de procedimento /Luvas estéreis Gaze estéril Álcool 70% Frasco ampola da imunoglobulina G 1 Equipo bomba 1 Seringa 10 ml ou 20 ml 1 Agulha 40x12 1 bolsa de SG 5% (volume variável) Passos 1. Prepare o Soro glicosado de 100 ml com equipo preenchidos com o próprio soro do frasco. 2. Retiro a quantidade de soro equivalente ao que será inserido do medicamento de forma a garantir que a diluição fique a 5% 3. Inserir vagarosamente pelas paredes da bolsa, o volume calculado do medicamento. Para minimizar a formação de espuma em soluções de imunoglobulinas, o frasco deve ser girado suavemente até que os conteúdos estejam totalmente homogeneizados. 4.NÃO AGITE. Tempo de infusão: Ver cálculo da enfermagem Orientações Gerais: Retirar o vol. de soro equivalente ao que ser inserido de medicamento. Medicamento de uso imediato

Cobertura de convênios

Para informações sobre cobertura de convênio, consulte nossa página de Convênios ou entre em contato com a nossa Central de Atendimento pelo Whatsapp (11) 3179-0822.

Preços e Pagamento Particular

Sabia que o Fleury oferece parcelamento em até 10x sem juros e condições especiais para pagamento particular para os médicos cadastrados?

Não possui cadastro? Cadastre-se já!

Entre em contato com a nossa Central de Atendimento e agende seu exame pelo Whatsapp (11) 3179-0822.