Ultrassom: o que é e quando fazer

A ultrassonografia, mais conhecida como ultrassom, é um método de diagnóstico médico não invasivo e indolor que cria imagens em tempo real e oferece uma abordagem segura e versátil do interior do corpo.

O ultrassom emite ondas sonoras de alta frequência (ultrassônicas) por um transdutor, um dispositivo que converte energia elétrica em energia sonora e vice-versa. Essas ondas sonoras são direcionadas para o corpo através de um gel condutor que ajuda a transmiti-las e eliminar bolsas de ar que possam causar interferências. Quando as ondas sonoras encontram uma interface entre tecidos de diferentes densidades, parte da energia é refletida de volta para o transdutor.

Diferentemente dos raios-X, o ultrassom não envolve radiação ionizante, o que o torna uma opção mais segura para exames em mulheres grávidas e em pacientes que requerem monitoramento frequente.

Sempre consulte o preparo e informações sobre esse exame com a nossa central de atendimento ou clicando aqui.

Todas as informações contidas aqui são de caráter informativo, não devendo ser utilizadas como diagnóstico ou substituição de uma consulta com médico especialista.

Como é feito o ultrassom?

Durante o exame de ultrassom o paciente deita-se em uma maca e o gel condutor é aplicado na pele sobre a área de interesse, por onde o transdutor é movido suavemente pelo ultrassonografista.

O transdutor, então, detecta os tecidos moles e os converte em sinais elétricos. Esses sinais são processados por um computador para criar imagens detalhadas em tempo real, exibidas em um monitor.

A varredura contínua do transdutor ao longo da área de interesse produz uma série de imagens em tempo real, permitindo aos médicos observar a estrutura e o movimento dos órgãos internos.

Essa técnica inovadora oferece uma visão detalhada das estruturas anatômicas e órgãos, permitindo aos profissionais de saúde detectar e avaliar diversas condições médicas.

Aplicações comuns do ultrassom

Uma das vantagens mais notáveis do ultrassom é que é um exame indolor e não invasivo. Não requer a injeção de contrastes ou exposição à radiação ionizante, o que o torna especialmente seguro, mesmo para pacientes sensíveis a contrastes ou mulheres grávidas.

A ultrassonografia é usada para avaliar órgãos internos, como o coração, fígado, rins, vesícula biliar, glândula tiroide, útero, ovários, identificando tumores, cálculos renais e outras condições.

No sistema musculoesquelético, é capaz de visualizar articulações, tendões, ligamentos e músculos diversos, quer seja das pernas, pés, tornozelos, joelhos, punhos, ombros, braços, auxiliando no diagnóstico de lesões esportivas e outras condições ortopédicas e clínicas.

Na obstetrícia, é amplamente conhecida como uma ferramenta essencial para monitorar o desenvolvimento fetal, detectar anomalias e orientar procedimentos como a amniocentese ou a biópsia do vilo corial.

Também é valiosa para a realização de biópsias guiadas por imagem, permitindo aos médicos direcionarem com precisão uma agulha para coletarem amostras de tecido.

Benefícios e limitações da ultrassonografia

O ultrassom tem várias vantagens distintas em comparação com outros exames de imagem, como a ressonância magnética (RM) e a tomografia computadorizada (TC). Além de ser mais acessível financeiramente, o ultrassom não utiliza radiação ionizante, como a radiografia (raios-x) e a TC, o que reduz significativamente os riscos associados à exposição repetida. Ele também fornece imagens dinâmicas, em tempo real, o que é especialmente útil para avaliar o movimento de estruturas como o coração e os músculos.

No entanto, a capacidade de penetração da ultrassonografia é limitada, o que pode dificultar a visualização de estruturas mais profundas ou em pacientes com excesso de peso. Além disso, a qualidade das imagens pode ser afetada pela presença de gases no corpo, dificultando a visualização de órgãos como os ovários. Em comparação com a RM e a TC, o ultrassom pode ter uma resolução inferior em certos casos.

Tipos de ultrassom

Ultrassom obstétrico: é uma aplicação específica do ultrassom e o principal método de imagem usado para monitorar a gravidez e avaliar o desenvolvimento do feto. Esse tipo de ultrassom oferece aos profissionais de saúde e aos pais a oportunidade de visualizar a vida em desenvolvimento dentro do útero. Permite o acompanhamento do crescimento fetal e da vitalidade do feto, detecção de anomalias e também a avaliação da placenta e do líquido amniótico.

Ultrassom abdominal: visualiza com detalhes os órgãos da cavidade abdominal, tais como fígado, pâncreas, rins, vesícula biliar e baço. Esse tipo de ultrassom é frequentemente solicitado em check-up e avalia a saúde e a função dos órgãos internos, detecta anormalidades, como cálculos renais ou doenças hepáticas, e orienta procedimentos como biópsias. Além disso, o ultrassom abdominal também pode ser empregado para avaliar o fluxo sanguíneo nos vasos que irrigam esses órgãos, usando o Doppler.

Ultrassom com Doppler: é uma extensão do ultrassom com foco no fluxo de sangue de vasos sanguíneos Esse tipo de ultrassom utiliza o "efeito Doppler", que envolve a análise das mudanças na frequência das ondas sonoras refletidas pelo movimento das células sanguíneas. Isso permite que os profissionais de saúde visualizem a direção e a velocidade do fluxo sanguíneo em tempo real.

Onde fazer e como agendar sua ultrassom?

A Ultrassonografia precisa ser previamente agendada e algum tipo de preparo pode ser necessário dependendo da região a ser avaliada. Entre em contato com a Central de Atendimento Fleury e agende agora mesmo seus exames de imagem na unidade Fleury mais próxima de você.

Para sua comodidade disponibilizamos o agendamento online, clique no botão agendar no site Fleury e escolha a melhor opção para você. Você também pode realizar o agendamento dos seus exames via WhatsApp ou Messenger.