Opióides e opiáceos: ação similar, mas estrutura e testes diagnósticos diferentes | Revista Médica Ed. 1 - 2006

A similaridade de nomes pode levar a solicitação e interpretação inapropriadas.
Publicado em 01 de Fevereiro de 2006
Compartilhar:

A similaridade de nomes pode levar a solicitação e interpretação inapropriadas.

Os opiáceos são substâncias químicas, presentes na papoula, com reconhecida ação analgésica e depressora do sistema nervoso central. Os opióides, por sua vez, consistem em produtos sintéticos com estrutura química diferente, porém com atuação similar à dos opiáceos. Todos eles podem causar dependência, mas o diagnóstico dessa condição exige recursos diferentes, apropriados a cada grupo. Na investigação de abuso de opiáceos, os testes de triagem rotineiramente empregados utilizam um anticorpo otimizado para reconhecer essas ubstâncias, o qual, contudo, não é capaz de detectar os opióides. Assim sendo, em caso de suspeita de uso abusivo de opióides, deve-se recorrer a uma pesquisa específica, que pode ser realizada tanto no cabelo quanto na urina, de acordo com a informação almejada. Isso porque o cabelo oferece um histórico do consumo de drogas ao longo de meses, enquanto a urina evidencia o uso nos últimos dias.

Grupo de substâncias
Origem
Exemplos
Material recomendado para detecção de abuso
• Opiáceos
Natural (papoula)
Morfina, heroína
Cabelo ou urina
• Opióides
Sintética
Fentanil e Meperidina (Dolantina®)
Cabelo ou urina

Para saber mais sobre este e outros assuntos, consulte o Núcleo de Toxicologia e Monitorização Terapêutica do Fleury pelo e-mail [email protected]